Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Socialistas assumem : casos Sócrates e Pinho envergonham qualquer socialista

O PS andou este tempo todo a fazer o que de melhor sabe. A fugir entre os pingos da chuva. Mas é possível enganar muita gente durante algum tempo mas não o tempo todo. E palpita-me que o maior problema do PS é que há mais gente do governo de Sócrates a vir à baila, por ventura alguns que são ainda hoje ministros.

capa_jornal_i_03_05_2018.jpg

 

 

 

Militantes do PS atacam políticas de Costa

Militantes do Partido Socialista avançam com manifesto onde criticam as politicas do governo.

A iniciativa é da Corrente de Opinião Esquerda Socialista e é apresentada como uma reunião que “congregará dezenas de militantes socialistas descontentes com o rumo que António Costa está a imprimir ao país e ao partido”.

O manifesto alerta que “os indicadores da evolução económica e do emprego são muito preocupantes”. E questiona: “O que vai acontecer quando o estado de ilusão, de torpor e de campanha eleitoral em que vivemos esbarrar nas suas insanáveis contradições: a economia e a Europa?”.

O documento considera ainda que “à semelhança dos seus congéneres europeus, o Partido Socialista vem dando manifestos sinais de declínio como bem ilustram os resultados das últimas eleições europeias e a derrota nas recentes legislativas”.

A transferência de votos da esquerda democrática para a esquerda radical

Com o PCP a fazer a sua função histórica de cortar fôlego à sua esquerda parece que a vida para os socialistas portugueses é mais simples do que em Espanha e na Grécia.

Por ironia, a grande mudança que António Costa celebrou na passada semana está ser feita à custa do esfrangalhar dos partidos socialistas. Primeiro do PASOK. Depois, muito provavelmente, do PSOE. Goste-se ou não, na Espanha e na Grécia, boa parte dos eleitorados da esquerda democrática está a radicalizar-se e a dar o seu voto a líderes que num passado não muito distante teriam considerado inapresentáveis.

O próprio António Costa chegou a secretário-geral rodeado de uma aura de pensamento mágico que seria ridícula caso não fosse perigosa: acreditava muito boa gente que bastaria afastar Seguro para que o PS galopasse nas sondagens. Agora mostram-se impacientes porque tal ainda não aconteceu.Da impaciência à desilusão – na esquerda nunca se cometem erros, têm-se ilusões e desilusões – vai um caminho muito curto. E potencialmente perigoso.