Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

A verdadeira revelação da Senhora Secretária de Estado

E fá-lo sem vergonha : Do que conheço, sou incapaz de garantir que a sra. secretária de Estado tem coragem. Porém, a julgar pelo currículo profissional e não pelas preferências lúbricas, sei o que a sra. secretária de Estado não tem: vergonha. Muito mais revelador do que a “revelação” é o preâmbulo à entrevista ao DN, onde se nota que passou pelo centro de “estudos” do prof. Boaventura, pela Administração Interna do dr. Costa, pela autarquia do dr. Costa, pelo grupo parlamentar do dr. Costa e, enfim, pelo governo do dr. Costa. Se uma cidadã assume sem hesitação tamanha série de monstruosidades, “assumir” a homossexualidade, inclinação que não lhe trará sombra de problema, é canja.

A Secretária de Estado da Educação fugiu a grande velocidade

Por onde anda Mário Nogueira ? Noticiam-se problemas no arranque do ano escolar mas o  alucinado sindicalista está algures preso e sem acesso a comunicações. Só pode ser isso ou então o papel  que o sindicalista reservou para si mesmo - avaliar o ministro da Educação - amordaçou-o. Urge libertá-lo.

A Secretária de Estado que se entretém a fechar escolas, teve que fugir a grande velocidade perante uma pacífica manifestação de pais que exigiam falar com ela sobre o encerramento de uma escola...pública em Mondim de Basto.

A Secretária de Estado não consegue explicar aos pais como é que manda fechar escolas que os pais escolheram para os seus filhos enquanto as suas filhas (dela, secretária de estado) frequentam o finérrimo Colégio Alemão. Razão ? Reserva para as filhas uma carreira internacional e como tal a escola pública não é competente.

E agora passou à ameaça : A propósito da situação atual dos alunos, Alexandra Leitão avisou esta terça-feira que “As crianças estão no edifício que já não é escola e, neste momento, estão a faltar às aulas. Quarta-feira fará dez dias úteis de ausência às aulas. Quando uma criança falta dez dias seguidos às aulas há mecanismos legais“.

 

As filhas da Secretária de Estado por acaso andam no Colégio Alemão

Por acaso diz a secretária de estado. Mas logo a seguir diz que não houve acaso nenhum, meteu as filhas no muito bom Colégio Alemão porque quer que as filhas dominem duas línguas. O português e o alemão. A Helena Matos diz que há escolas na Amadora onde também se falam duas línguas. O português e o crioulo mas à senhora secretária de estado, por acaso, não lhe deu para meter lá as filhas.

O que está em causa, o que irrita nos contratos de associação é que milhares de famílias viram naqueles contratos algo em que muitos já desistiram de acreditar na rede pública: a escola enquanto factor de inclusão e ascensão social. Por outras palavras, eles não podem colocar os filhos na Escola Alemã mas também não os querem nas madrassas do senhor Nogueira. Querem apenas, dentro de um reduzido lote de escolas, escolher aquela em que os seus filhos vão fazer a escolaridade obrigatória.

Este sistema escolar que a senhora secretária de Estado defende – com os filhos dos outros nas escolas públicas e os nossos numa escola privada por causa de uma circunstância que não suscita polémica como os horários ou a segunda língua – tornou-se em Portugal um mecanismo que não só reproduz como acentua as fragilidades e as vantagens comparativas do meio de origem dos alunos.

 

 

A secretária de estado da educação tem os filhos no colégio alemão

Pois claro, a escola pública é boa para os filhos dos outros. Mas os filhos da secretária de estado andam no colégio alemão porque querem aprender alemão a sério nada dessa coisinha do inglês e do francês da escola pública.

O importante mesmo é os filhos dos pobres terem acesso às escolas públicas, às más, porque as boas estão cheias de alunos remediados. E os alunos ricos - como se vê pelo exemplo- frequentam as boas escolas privadas que ensinam à séria.

Isso dos filhos dos remediados, que não cabem nas boas escolas públicas, e dos alunos filhos dos pobres terem acesso a boas escolas é que não pode ser . É um desperdício, uma despesa em duplicado. Se querem boas escolas façam como a senhora secretária de estado, paguem. O estado fornece escolas que a senhora secretária de estado não quer e que os alunos remediados e pobres também não querem. O que está mal é que os filhos da senhora secretária de estado se safem das más escolas públicas porque têm uma mãe que ganha bem.

Documento manipulado na base da demissão do secretário de estado

Com documento manipulado à mistura no ataque da oposição. Ao fim de um dia inteiro de avaliação, o Ministério das Finanças afirmou nesta terça-feira à noite que o documento que tem sido noticiado por vários órgãos de comunicação social com propostas de contratos swap do Citigroup ao Governo em 2005, onde consta o nome de Joaquim Pais Jorge, actual secretário de Estado do Tesouro, foi afinal manipulado.

Os swaps são uma confusão bem organizada

Agora há uma confusão propositada sobre os swaps. A questão não é serem uma decisão que custa muito dinheiro ao país, é se foram ou não transferidos do anterior governo para o actual. E, de passagem, branqueiam-se os swaps "batoteiros". É que como no vídeo abaixo se pode ver há swaps que são crime mas sobre os quais não se fala.

A secretária de estado veio novamente confirmar que não recebeu informação nenhuma sobre estas operações. Os ministros falaram sobre o assunto, Teixeira dos Santos que não conhecia o dossier, pediu ao seu secretário de estado para preparar a informação mas este não constituiu o dossier.

Depois de termos ouvido, neste fim-de-semana, o [antigo] ministro Teixeira dos Santos, queremos ouvi-lo no âmbito da comissão de inquérito, assim como ao [antigo] secretário de Estado Costa Pina, porque precisamos de um esclarecimento sobre a razão pela qual a maior parte dos contratos de risco foram celebrados entre 2008 e 2010”. Veja o vídeo a partir do meio (5 minutos) e ficará sem dúvidas.

 

 


O Secretário de Estado não foi nomeado Director-Geral ganhou um concurso

Contrariamente ao que se pretende passar o Director-Geral não foi nomeado Director-Geral ganhou o concurso. Após ter ganho o concurso foi nomeado secretário de estado. Onde é que está "o job for the boys"? O que diz o PCP é falso!

O deputado comunista João Ramos quer explicações sobre a nomeação para director-geral de Veterinária, em termos efectivos, de Alexandre Nuno Vieira e Brito, dois dias antes de tomar posse como secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agro-Alimentar.

Agora se o concurso teve batota é outro assunto, mas aí devem ser os concorrentes a recorrer da decisão. Não é verdade que os Directores-Gerais e Subdirectores-Gerais deixaram de ser nomeados ? A Lei deve ter dois ou três meses!

Em resposta a estas críticas, Assunção Cristas declarou hoje à tarde aos jornalistas: “Eu só posso dizer que se trata de afirmações absolutamente falsas, que não correspondem à verdade, e eu própria terei muito gosto em ir amanhã [quinta-feira] à comissão, se a comissão tiver essa disponibilidade, explicar porque é que isso, de todo, não corresponde à verdade”.