Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Mais uns milhões para a RTP

Rui Mendes Ferreira
41 min ·
SAPO Vídeos
·
 

Fechem-na, privatizem-na, vendam-na, ou ofereçam-na grátis! Porra.

Mas por favor, haja alguém com coragem para retirar esta canga (a somar a muitas outras) de cima de nossos pescoços, e de uma vez por todas. Porra!

Esta miserável e inútil empresa só de Taxas cobradas na factura da EDP, roubou-nos em 6 anos, mil milhões de euros.

E chamo a vossa atenção, que nestes montantes, não estão ainda incluídos as centenas de milhões de euros, saídos dos cofres do dinheiro público, provenientes dos nossos impostos, que andam há dezenas de anos a ser literalmente para lá despejados, desbaratados e esbulhados, através do Orçamento de Estado.

Só através do OE, e das dívidas desta empresa que o erário público teve que assumir, foram já vários milhares de milhões de euros. Têm sido milhares de milhões de euros, desde que passaram a existir televisões privadas que conseguem fazer exactamente tudo o que a RTP faz, muito melhor e a mais baixo custo.

Pensem bem no seguinte:

Mil milhões confiscados directamente dos nossos bolsos, só em 6 anos. para sustentar um cancro do regime, ao serviço dos interesses e da voz do dono que num dado momento governa, e autêntico albergue de boys, chulos, e parasitas.

Sabem quantos hospitais se podiam construir em 6 anos, com mil milhões de euros, e que ficariam pagos em 6 anos, sem empréstimos, e sem mais dívidas para as seguintes gerações? Sabem quantos centros de saúde comunitários podiam ser construidos e manter a operar?

Sabem quantos médicos mais podiam ser formados e contratados, com mil milhões de euros? Para que de uma vez por todas, todos os cidadãos tivessem acesso a um médico de família?

Sabem quantas consultas, quantos tratamentos, quantas operações, podiam ser realizadas com mil milhões de euros? Para que de uma vez por todas deixássemos de ter listas de espera e doentes anos seguidos à espera de uma consulta ou de um tratamento ou de uma operação,

Sabem quantas camas mais podiam existir nas enfermarias, com mil milhões de euros? Para que de uma vez por todas deixássemos de ter a pouca vergonha que são as centenas de doentes em macas nos corredores dos hospitais?

Pensem bem em tudo isto, nas opções que já há muito devíamos ter feito, e nas decisões que por cobardia, ou interesses pessoais e partidários, ninguém quer tomar.

Eu já me tinha entregue à Sandra mas não foi em directo

Isto só em Arouca, perdão, nos balneários em Alvalade. Aqui apesar das câmaras de vigilância e da proximidade de milhares de pessoas ninguém viu nada mas com a Sandra vê-se tudo ( errepetemente falando, claro) .

Isto, sim, é reportagem. No momento certo em conjunto com a Polícia Judiciária, o "piloto" entrega-se para fugir à GNR . Um momento histórico televisivo até porque se não fosse naquele momento, exactamente antes de começar a " grande noite americana", ninguém daria pela notícia. Abençoado o nosso dinheiro que faz andar a Sandra .

No caso do preso "44" a estação escolhida foi a CMTV que estava no aeroporto exactamente no momento . Temos uma promissora e inédita aliança entre as autoridades a comunicação social e os próprios arguidos . Única no mundo.

Deixo aqui a minha contribuição, sugerindo às autoridades aqueles hélios que, lá de cima, focam com um raio de luz o fugitivo. É lindo e dramático .

Sondagens - indecisos começam a tomar decisões

As sondagens mexem, indicação segura que os indecisos começam a tomar decisões . Tanto nos grandes partidos como nos pequenos as sondagens de hoje já mostram subidas e descidas em que nalguns casos até se percebe a transferência de votos.

Na sondagem RTP a Coligação perdeu 2% ( de ontem para hoje) exactamente na margem que vem evidenciando maior distância. Pode dizer-se que a actual margem, sendo mais estreita, é mais credível. Mas o curioso é que na sondagem TVI a Coligação aumentou a margem para o PS, movendo-se em sentido contrário à sondagem da RTP. Quer dizer, a margem a favor da Coligação começa a consolidar-se nas tracking poll em números aproximados e por isso mais credíveis.

sondagem_rtp_27set2015.png

 

 

Uma vantagem recorde. O estudo da Intercampus para a TVI/TSF e Público divulgado este domingo coloca a coligação Portugal à Frente, com 38,1% nas intenções de voto, a 5,1 pontos percentuais do PS, que se fica pelos 33%.

No entanto, a sondagem da Universidade Católica para a RTP conta uma história diferente: a coligação continua à frente e ainda na casa dos 40%, mas os socialistas parecem recuperar caminho, estando agora a 7 pontos de diferença – no sábado, PSD e CDS estavam a 10.

sondagem_tvi_27set20151.png

 

E para o Correio da Manhã / Aximage a distância também está nos 5,9% .

sondagem_cm_26set2015.png

 A vantagem da Coligação situa-se portanto entre os 5,1%, 5,9% e os 7 % .


 

 

 

Sondagem RTP - maioria absoluta para a Coligação

Pela pimeira vez a sondagen RTP dá apossibilidade de a Coligação alcançar a maioria absoluta. A tendência é de a vantagem entre a Coligação e o PS se alargar o que acontece desde o primeiro dia

sondagemrtp1.jpg

 A subida registada pela coligação Portugal à Frente manifesta-se também na intenção direta de voto expressa pelos inquiridos, com um aumento de dois pontos em relação à sondagem anterior. Já o Partido Socialista mantem o mesmo valor, de 17 por cento. 

sond%.jpg

 

 

 

 

Sondagem - Coligação alarga vantagem para sete pontos

sondrtp4.jpg

 A quantos pontos está a Coligação da maioria absoluta ? É a pergunta que começa a ameaçar o PS que vê alargar o fosso entre si e a Coligação.

E na TVI , a tendência é a mesma. Depois de distribuídos os indecisos a Coligação chega aos 37% . Até ao fim da campanha o que poderá levar a uma mudança radical neste cenário ? Fala-se no caso da Marinha Grande com Mário Soares como exemplo . Mas neste momento o que me parece é que o PS não consegue fazer passar uma mensagem credível e, as pessoas, que têm filhos para criar, usufruem de bons hospitais, boas escolas, salários, pensões e subsídios não encontram razões para mudar .

O grande erro de António Costa e de toda a esquerda, é não ter percebido que o país está muito melhor do que estava quando o PS deixou de ser governo . E a população tem confiança no caminho que está a ser seguido.

sondagemtvi7.jpg

 

Sondagem - Coligação 7 pontos à frente

sondcatólica.jpg

 

 

 

Esta sondagem é da Católica e é a primeira que a RTP vai apresentar diariamente . Claro que os resultados diários e a sua tendência é que darão indicações preciosas sobre as intenções dos eleitores mas, para já, temos a Coligação com 7 pontos à frente do PS. 41% para a coligação. 34% para o PS. Sete pontos separam a coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP) dos socialistas na primeira sondagem diária da RTP, da responsabilidade da Universidade Católica. A outra surpresa deste estudo sobre as intenções de voto dos portugueses é o resultado do Bloco de Esquerda, que aparece como terceira força política, com 8%, enquanto CDU apenas soma 7%. O estudo revela ainda, contudo, uma enorme percentagem de indecisos: 32%.

A sondagem da Católica para a RTP faz ainda uma redistribuição de votos já incluindo os indecisos, as respostas dos inquiridos dão 25% à Coligação, 17% ao PS e 4% para Bloco e CDU. A sondagem envolveu 647 inquéritos e a margem de erro é muito alta: 3,9%.

A sondagem divulgada hoje pela televisão pública é a primeira de uma série que a RTP vai divulgar diariamente até ao final da campanha. O objectivo da série  (tracking poll) é de observar as tendências de subida e descida de cada partido e a tendência dos indecisos,mais do que a medição da percentagem de intenções de voto de cada um.

 

Na RTP a média dos salários é o dobro da média nacional

Ganham em média 2 300 euros por trabalhador quando a média nacional é de 1 100 euros. E 98% dos trabalhadores ganham acima dos 1 000 euros. E têm progressão automática na carreira e um suplemento de reforma. Esta situação é aceitável, segundo a opinião do presidente do Conselho de Administração.

Cristina Vaz Tomé, administradora com o pelouro financeiro detalhou ainda que nas conversações que têm mantido com os sindicatos estão em cima da mesa temas como a progressão de carreiras e sobre o suplemento de reformas.

"A empresa gostaria que fosse implementando um sistema de avaliação", eliminando, por exemplo a cláusula de progressão automática. "Estamos tentar chegar a um equilíbrio", acrescentou.

"Reatámos as negociações, e realizámos diálogos individuais com vários sindicatos. As conversas que tivemos foram para pedir um bocadinho de sensibilidade", explicou Cristina Vaz Tomé. 

É preciso sensibilizar os sindicatos numa empresa pública que ainda terá de mostrar que é necessária e que, cumpre o serviço público, para além de oferecer condições mais favoráveis . E sabemos todos a luta que se travou para se conseguir que a RTP seja agora bem mais leve para o Orçamento de Estado.

 

 

Habeas Corpus aceite na RTP

A administração da RTP aprisionada entre um Conselho Geral Independente que não é conselho nem é independente, bem pelo contrário, é composto por uns senhores muito importantes que, supostamente, sabem o que é serviço público de televisão e, as organizações de trabalhadores que, supostamente, nos deviam oferecer um serviço público de televisão, lá conseguiu libertar-se. O dinheiro nunca chega e é o único culpado. A Comissão de Trabalhadores, vai cilindrando, um após outro, os conselhos de administração que por lá passam. E sobrevive a todos os governos. As taxas e taxinhas que consegue sacar ao estado dão de comer a muita gente bem apessoada e pouco preocupada.  O Conselho queixa-se que “o Plano Estratégico do Conselho de Administração revela insuficiência que o fere de qualquer eficácia”, que se manifesta – diz o CGI – “na débil natureza qualitativa e na ausência de especificação das suas propostas”.

Mas não foi sempre assim?