Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

José Sócrates devia conter-se

O ex-PM foi orador numa reunião de socialistas que viajaram de camioneta paga . E não conteve a sua alegria pelo afastamento de Joana Marques Vidal.

Ora, devia conter-se porque afinal de contas o que direita diz é que, a não renovação do mandato da ainda PGR tem como objectivo abrir caminho ao arquivamento do processo Marquês em que figuras poderosas estão envolvidas incluindo o ex-PM.

Mal está que seja o próprio Sócrates com a sua óbvia alegria a reforçar essa suspeita . Marcelo e Costa, estão incomodados por Sócrates vir agora a público dar testemunho  do seu apoio à nomeação de uma Procuradora pouco conhecida. Ou será que uns e outros sabem mais sobre a senhora nomeada que o povinho ?

Perante tanta manifestação de alívio parece mesmo que há uma parte da esquerda que sabe o que se está a passar e que espera um procedimento por parte da futura PGR  condizente com os seus interesses.

José Sócrates devia conter-se .

 

De repente, o fedor dos anos socráticos voltou

O que explica o afastamento de Joana Marques Vidal é o medo que o PS tem dos processos que envolvem muita gente poderosa do partido socialista e não só. Afastar gente com mérito e colocar gente amiga foi um dos instrumentos de Sócrates para exercer o poder total.

Na Justiça além do ministro socialista tínhamos o PGR, o Presidente do Supremo, o Director do DIAP e o comissário português para a Justiça em Bruxelas, tudo gente amiga do PS. Só  após a sua saída é que os processos agora em julgamento, avançaram .

O que vai acontecer ao actual director do DIAP ?

António Costa, político do PS e ministro do socratismo, não podia gostar de Joana Marques Vidal. Quem se mete com o PS leva! Há dias, aqui no Expresso, Luís Marques mencionou as pressões de que Souto Moura foi alvo devido ao processo Casa Pia, que acabou por envolver figuras do PS. Um dia saberemos. O certo é que, depois de Souto Moura, o PS colocou na Procuradoria uma comédia. É este mesmo PS que agora recusa reconduzir a única procuradora que nos deu a sensação de vivermos numa democracia a sério, onde os poderosos não estão acima da lei. Guardião dos interesses das clientelas eleitorais que não querem as reformas, o PS julga-se acima da lei, julga-se acima do bem e do mal. Marcelo, amigo de Salgado, é conivente.

Há fotos que valem por mil palavras

pgr.jpg

Quem é a única senhora no repasto ? Pedro Passos Coelho fala em razões escondidas para a nomeação do nova PGR. Esta foto revelará uma delas ?

É bem verdade que dentro de algum tempo vamos saber. Quem será substituído a seguir ? O Juiz Carlos Alexandre ? A dúvida está instalada. Quem se mete com o PS leva.

E para que serve a popularidade de Marcelo se não corrige decisões do governo que instalam a dúvida ? E porque não exige ao governo as reformas estruturais tão necessárias ?   

Os beijos e as fotos não chegam.

PS : peço desculpa não é a senhora que se julgava

Artigo de opinião de Pedro Passos Coelho sobre a substituição de Joana Marques Vidal. “Não houve a decência de assumir com transparência os motivos que conduziram à sua substituição. Em vez disso, preferiu-se a falácia da defesa de um mandato único e longo para justificar a decisão.”

Atreveram-se substituir Joana Marques Vidal

Observador :

 

É bom lembrar o que estava em causa. É verdade que o governo e o presidente da república não eram obrigados a reconduzir a Procuradora-Geral da República. Mas nas actuais circunstâncias, era perfeitamente legítimo esperar que o fizessem. Primeiro, porque a justiça portuguesa não tem simplesmente entre mãos uns quantos casos melindrosos, mas, segundo a acusação da Operação Marquês, uma conspiração para subverter a democracia, a qual só no mandato da Dra. Joana Marques Vidal pôde ser investigada. Segundo, porque o governo é neste momento exercido por antigos colegas de José Sócrates. Por tudo isto, talvez se pudesse esperar do governo e do presidente da república um zelo redobrado para não deixar nenhumas dúvidas de que o poder político não pretendia de modo nenhum influenciar o curso da justiça ...

A PGR tem agora uma independência do poder político que não se esgota no titular

Nos próximos tempos dois conhecidos políticos vão entrar na prisão. A maior operação de investigação ( Sócrates e Ricardo Salgado) vai entrar na segunda fase, a de instrução, sendo quase certo que a acção avançará para tribunal

A Procuradora Geral da República, Joana Marques Vidal, a quem se deve em larga medida estes resultados será substituída.

Há coisas do caneco...

Nos anos 80 e 90 estávamos bem longe de a Justiça conseguir obter estes resultados mas, a verdade, é que há muito político e gente de dinheiro preocupada com o que ainda poderá sair das acções a correr. E isso exerce uma pressão tremenda sobre o poder político .

Mas será possível a um novo titular da PGR parar ou eliminar os avanços concretizados pela actual PGR ? Não parece possível sem enfrentar uma enorme resistência de quem no Ministério Público tem agora menor dependência do poder político. E essa luta a travar-se representaria um enorme desgaste para o governo .

Os próximos tempos são muito importantes para o aprofundamento da Democracia em Portugal

Costa já encontrou um bode expiatório para o escândalo de Tancos

É a Procuradora Geral da República Joana Marques Vidal que, aliás, já tinha sido despedida pela ministra da Justiça.

Mas um dos grandes recados que Costa deu foi a Joana Marques Vidal, anunciando praticamente que a procuradora-geral da República tem o seu destino traçado em outubro. Isto é: não vai ser reconduzida no cargo. Mas o primeiro-ministro tem alguma facilidade em resvalar para o mau gosto pois, se assim não fosse, não culpava exclusivamente Joana Marques Vidal por o escândalo de Tancos ainda não estar resolvido. Qual a razão então para Costa, seguindo o mesmo critério, não culpar os seus ministros sempre que há algum problema nos seus ministérios? O que dizer da ministra da Administração Interna responsável pela tutela da Proteção Civil quando morreram mais de 100 pessoas nos incêndios do ano passado? Constança Urbano de Sousa demitiu-se por não aguentar mais a pressão e não consta que Costa tenha dito ao país que a ministra tinha falhado no combate aos incêndios, até porque estaria a culpar-se a si próprio .

O BE e o PCP não piam .

 

É preciso renovar o mandato da PGR e do actual Director da PJ

O governo, com dez meses de antecedência, fez saber publicamente que não reconduziria Joana Marques Vidal como Procuradora Geral da República. Foi uma jogada política estranha até por ter sido feita a uma tão grande distância . Hoje, conhecidas as mais recentes evoluções dos casos em investigação, percebe-se melhor.

Há que afastar quem tem mostrado independência face ao poder político e mostrado resultados. Os nomes que têm vindo a lume são machadadas gigantes no PS e nos governos de Sócrates. Porque a investigação tem mostrado que as investigadas fraudes foram cometidas por membros do governo em exercício à época, ao contrário das fraudes investigadas a gente do PSD cujas fraudes decorreram no exercício da sua vida profissional privada.

É preciso estar muito atento porque é o futuro da Democracia e do estado de Direito que estará em cima da mesa.