Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Da série : os grandes estadistas

O PS nunca mais governará com o apoio da direita, Pedro Nuno Santos.

Na semana que passou ficou claro que a geringonça está mesmo morta: Bloco, PCP e PEV recusaram-se a acudir ao PS e ao governo, tendo aliás nos casos do TC e do aeroporto do Montijo contribuído para tornar a posição dos socialistas ainda mais complicada.

Mas, além disso, às negas da esquerda somaram-se as do PSD. Os sociais-democratas juntaram-se às ameaças do PCP e do Bloco de chumbar a intenção governamental de mudar o decreto que permitiria a transformação da Base Aérea 6, no Montijo, num aeroporto internacional.

As medidas compensatórias ( por exemplo, as receitas da construção de habitação que com o aeroporto não são viáveis) vai obrigar o governo a abrir os cordões à bolsa para converter as autarquias comunistas.

As diferenças fundamentais entre o Liberalismo e o Socialismo

O ministro Pedro Nuno Santos já pôs as pernas dos alemães a tremer por causa da dívida agora põe as pernas dos portugueses a tremer por causa da liberdade de escolha.

Objectivamente, a visão de liberdade de Pedro Nuno Santos não difere daquela que diz ser a de João Cotrim de Figueiredo e da IL. O que o ministro expressa é uma mera possibilidade de escolha. A diferença está em quem faz a escolha. Para o deputado da IL deve ser o cidadão, para o ministro deve ser o Estado.

Ao afirmar que deve ser o Estado, e não o cidadão, a escolher, Pedro Nuno Santos está efectivamente a impedir que o indivíduo seja verdadeiramente livre, pois não permite que este assuma as suas responsabilidades. Ora, esta posição traduz uma inversão aos pressupostos da democracia representativa. Deve ser o cidadão a controlar o Estado (e os seus representantes) e não o Estado a controlar os cidadãos.

Esta é uma das diferenças fundamentais entre o socialismo e o liberalismo. Enquanto o liberalismo questiona o Estado e os seus representantes, o socialismo não confia nos cidadãos e jamais lhes dará a responsabilidade da liberdade. O ministro Pedro Nuno Santos não quer que as escolhas dos cidadãos possam beneficiar agentes privados (principalmente estes) ou públicos. Prefere privá-los da liberdade, escolhendo por eles, e favorecer selectivamente e arbitrariamente alguns (quiçá) “camaradas”.

Já não há adultos capazes de tomarem conta do governo ?

Quando se percebe que é Pedro Nuno Santos o membro do governo a quem competia ler a informação disponível e prevenir mas que, em vez disso, deixou que o caos se instalasse em apenas 48 horas, a pergunta que se impõe é :  já não há adultos no governo ?

Não me venham com a conversa que não havia nada a fazer ( acesso pago )

O homem da dívida que não se paga mas que se gere. O homem do " a cada um segundo as suas necessidades de cada um segundo as suas capacidades" . O homem que arranjou emprego para a mulher no governo depois de ter trabalhado na câmara de Lisboa. O político que diz que com ele o PS nunca governará com a direita .

Podemos esperar deste homem visão e capacidade de se antecipar aos problemas ? Este jovem adulto que vai fechando portas às soluções dos problemas que prejudicam o país pode ser levado a sério a ponto de ter chegado a ministro ?

É preciso dizer-lhe que as infra-estruturas podem cair . Acreditem, ele não sabe.

PNS.jpg

 

 

O Maserati e a luta de classes

Maria João Marques

44 min ·
 

Dizem-me que Pedro Nuno Santos afinal vem de família com dinheiro (espero que não seja como a fortuna da mãe de josé sócrates) e que o Maserati é provavelmente dele. Fico descansada. E está respondida a minha pergunta. Agora só há a apontar os gostos caros e burgueses do novo ideólogo da luta de classes do PS. É muito credível um político que se passeia de Maserati a clamar contra as desigualdades sociais. Digo eu, que nada tenho contra gostos caros e burgueses, e menos ainda contra heranças.

De Maserati não lhe tremem as pernas.