Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O IMI da vergonha

Rui Mendes Ferreira

8 h ·
 

Pergunta do dia:

Porque é que a esquerda votou contra a possibilidade de isentar do pagamento de IMI as casas que foram destruídas pelos incêndios durante os próximos dois anos?

Resposta:
Porque, muito simplesmente, a esquerda é geneticamente contra tudo o que seja conceito de propriedade privada, e tem um ódio profundo aos proprietários.

E votaram contra, apesar do partido comunista português ser o maior proprietário de imobiliário no país, e dos partidos de esquerda advogarem a isenção de tributação de todo o património pertencentes aos partidos, assim como defenderem a isenção de pagamento de taxas e impostos sobre os rendimentos de todas as suas actividades.

Como se o país, dependesse da existência dos partidos políticos, para poder existir ou subsistir, e não dependa sim, da existência, do trabalho, e da riqueza produzida, pelo cidadão individual, livre e independente dos partidos e do Estado.

Esquerdas, é isto.

Daqui de Pedrógão vamos controlar o furacão das Bahamas

O governo já accionou os instrumentos necessários com vista a controlar os prejuízos causados aos cidadãos portugueses em férias ( e presume-se que a viver) na América Central.

Os cidadãos de Pedrógão Grande procuram os donativos privados e os subsídios de ajuda da União Europeia . O governo pela voz do primeiro ministro não sabe do dinheiro, o ministro da Segurança Social também não . Percebe-se agora . Foram enviados para o centro do furacão.

A estratégia é cercar a tempestade e cortar a cabeça ao furacão, tudo com o apoio do SIRESP que não funciona com incêndios mas é imbatível com furacões.

Preparam-se os meios aéreos e mil bombeiros para atacar a frente ( e de frente) o "olho do maldito" que não vencerá.

Logo após, o governo fará então chegar à população civil a causa e os responsáveis da morte de 64 pessoas que jazem no silêncio dos cemitérios e na envergonhada paz da comunicação social.

Dizem alguns que se trata de um golpe com vista a esquecer a tragédia . Golpe da oposição, claro.

 

 

 

A verdade de Costa e a mentira dos bombeiros

Os bombeiros e o restante pessoal que estiveram no terreno com risco da própria vida estão a mentir acerca do SIRESP . A verdade está inteirinha com o primeiro ministro, arguto comprador do sistema de comunicações e principal decisor sobre a PPP que entregou a gestão à privada.

Espero que o BE tire as necessárias ilações depois do chumbo às mãos do PS da sua proposta para nacionalizar a gestão do SIRESP. E a verdade é clarinha. Segundo Costa o sistema teve umas falhasitas nada de importante e sem nenhuma relevância para a consumação da tragédia.

O argumento usado por António Costa é extraordinário tendo em vista que o SIRESP não teve nenhuma relevância :

"Nas respostas, Costa explica também que segundo a GNR "até ao momento em que se verificaram as mortes, não foi comunicada àquela força de segurança qualquer decisão operacional relativa à necessidade de encerramento da N236-1, não tendo sido recebida qualquer informação que alertasse para uma situação de risco, potencial ou efectivo, em circular pela via em causa".

Isto é, apesar de não haver problema nenhum relevante com as comunicações morreram pessoas porque não havia informação nenhuma sobre o potencial perigo na N 236-1.

Isto sim é o que se chama repor a confiança nas populações.