Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Confingimento - que pode Costa dar a este país ?

Convém, de resto, não esquecer que um Governo não existe para dar boas notícias ou para ser simpático e fazer aquilo que lhe some mais popularidade. Um Governo existe para fazer o que tem de ser feito. A sociedade lá estará para interpretar com justeza os sinais que lhe forem dados, os bons e os maus, com todas as consequências.

Dá-se ainda o caso de, no confinamento de março de 2020, quando tínhamos 642 novos casos de COVID-19 em todo o país e apenas 2 mortes, as exceções serem apenas 35 e, agora, num momento em que temos cerca de 10 mil novos casos diários e mais de 160 fatalidades, as exceções ascenderem a 52. Donde, por pertinentes e justas que possam ser essas salvaguardas, a verdade é que é incompreensível que encontrando-se a situação pandémica muitíssimo mais difícil do que há quase um ano atrás, as medidas de contenção sejam substancialmente menos restritivas.

Acresce um outro lado da equação: o tratamento das doenças não COVID, sistematicamente em crise quando se tarda a decidir. Só para citar um exemplo (crítico), os rastreios do cancro da mama, do colón e recto e do colo do útero desceram, ainda antes de chegar a 3ª vaga, cerca de 18%, 6% e 10%, respectivamente. Imagine-se como estarão por esta ocasião e as consequências letais que isso pode ter.

A grave atitude de Paulo Portas

A presente situação é muito prejudicial para o país. "Se a escolha do primeiro-ministro foi uma má escolha, a reação de Paulo Portas é incompreensível porque é em pleno arranque da oitava avaliação, depois da 'troika' já cá ter estado, num momento crucial para o Orçamento do Estado, numa atitude que não é sequer partilhada com elementos do seu partido (...) pondo em causa de forma grave a situação política e financeira do país", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

É da sua natureza. Com Portas ninguém alcança a outra margem do rio.

Paulo Portas e a jactância gradativa

Tal como escrevi Paulo Portas teve a sua contrapartida. É preciso atingir as metas mas os caminhos somos nós que escolhemos e, estes, foram os escolhidos por mim. Passos e Portas, concordam em muito mais medidas do que as que discordam, e isso é o que há a reter neste discurso. Portas, veio dizer que os caminhos são para serem encontrados e não há soluções milagrosas porque se as houvesse há muito que o PS as tinha apresentado. O PS deixa morrer o doente sem lhe dar o medicamento salvador? Não tem alternativa fora do governo mas está à espera de ir para o governo para apresentar a salvação.? O CDS disse ao que veio após o Presidente da República ter dito o mesmo. Cumprir com os menores efeitos secundários possíveis e correr com a Troika o mais depressa possível.

Quanto ao PC e ao BE o discurso é o de sempre. Não pertencem à solução.

Portas com o coração destroçado salva pensionistas

Hoje, às 19 horas, temos comunicação televisiva de Paulo Portas. É a contrapartida. Fala depois de todos, sozinho e com um assunto de impacto. Os pensionistas vão ser salvos por uma almofada que, nem a propósito, existe no conjunto de medidas anunciado por Passos Coelho. A tal odiada taxa extraordinária sobre as pensões não vai ver a luz do dia.

E, convenhamos, é a que custa mais a engolir. O pessoal " da pesada" e que já está do lado errado da vida, não tem como se defender. Descontou toda a vida e agora tiram-lhe o que foi juntando. Acresce que a maioria ajuda o filho desempregado. Que muitas vezes já tem filhos. Uma pensão, assim assim, equilibra as finanças de mais que uma família. E ajuda ao consumo interno, porque a este nível, a pensão vai toda para os bens essenciais.

Ainda bem que há um resto de decoro e de bom senso.

As campanhas difamatórias do "Independente" ainda hoje perseguem Portas

...Paulo Portas (...) foi director de um jornal "O Independente",que tanta desinformação verteu para a opinião pública sobre a nossa realidade" ( Angolana). O mesmo Portas, agora ministro dos negócios Estrangeiros, tem que provar do mesmo veneno . Ninguém sabe melhor do que ele quem são as fontes no Ministério Público que cometem o crime de quebra de Justiça. Inquérito e mais inquéritos nunca dão em nada, como se não fosse possível saber quem é que tem acesso ao processos e à máquina de tirar cópias.

Todo o estado vive neste mundo irresponsável. Todos têm direitos adquiridos mas não são responsáveis por nada!

Ana Gomes acusa Paulo Portas no caso dos submarinos

Esta senhora é uma boca grande como há poucas. Esquece que a presunção de inocência prevalece.
Apesar destas críticas, a socialista afirmou que “não há risco nenhum do CDS sair do Governo” porque sairia de “rastos por causa de todas as contradições”.
Mas esta não era, segundo Ana Gomes, a única razão porque o CDS se mantinha no Governo: “O dr. Paulo Portas precisa absolutamente de estar no Governo para manter a imunidade inclusivamente em relação à justiça pelo caso dos submarinos”.
Pires de Lima contestou, afirmando que Paulo Portas “não é arguido, nem sequer testemunha de coisa nenhuma ao nível da justiça portuguesa ou de qualquer justiça internacional”. “São afirmações gratuitas”, acrescentou.
Porque se refugiaria Portas na impunidade governamental se não há ninguém a persegui-lo?

Ana Gomes acusa Paulo Portas no caso dos submarinos

Esta senhora é uma boca grande como há poucas. Esquece que a presunção de inocência prevalece.
Apesar destas críticas, a socialista afirmou que “não há risco nenhum do CDS sair do Governo” porque sairia de “rastos por causa de todas as contradições”.
Mas esta não era, segundo Ana Gomes, a única razão porque o CDS se mantinha no Governo: “O dr. Paulo Portas precisa absolutamente de estar no Governo para manter a imunidade inclusivamente em relação à justiça pelo caso dos submarinos”.
Pires de Lima contestou, afirmando que Paulo Portas “não é arguido, nem sequer testemunha de coisa nenhuma ao nível da justiça portuguesa ou de qualquer justiça internacional”. “São afirmações gratuitas”, acrescentou.
Porque se refugiaria Portas na impunidade governamental se não há ninguém a persegui-lo?