Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

África não precisa de caridade precisa de parceria

É a solução para a imigração, tratar os problemas da miséria onde eles existem.

Quanto ao problema da imigração, que tem também contaminado a política interna de muitos estados-membros, Juncker fez o anúncio de 10 mil novos polícias para a agência Frontex (Guarda de Fronteiras e Costeira) até 2020, com o objetivo de reforçar a proteção das fronteiras europeias. Juncker diz, no entanto, que quer atuar diretamente nos locais de origem dos imigrantes clandestinos. Para isso, propôs avançar com uma parceria Europa-Africa, que o presidente da Comissão Europeia espera possa ajudar a criar cerca de 10 milhões de empregos e atrair mais investimento para o continente. “África não precisa de caridade, precisa de uma parceria equilibrada”.

Ao mesmo tempo pediu mais rotas legais para a entrada de imigrantes, dizendo que a Europa precisa de imigrantes qualificados, também assumiu o compromisso de acelerar a repatriação dos imigrantes ilegais. “Não podemos procurar soluções ad-hoc de cada vez que chega um novo barco. A solidariedade temporária não chega.”

Nunca houve tão grande convergência face à situação do país

Silva Peneda : " Sublinhando que não percebe a dificuldade de entendimento “naquele que é o interesse nacional” – a construção do novo modelo económico –, Silva Peneda recorda que todos os parceiros sociais disseram estar disponíveis. “Nenhum se opôs. Desde a CGTP, UGT, à CIP, CAP, CCP, todos eles, nenhum se opôs. Eu não percebo – e tenho muita dificuldade nisto – por que razão questões de natureza político-partidária, menores seguramente, fazem com que não se enfrente este tipo de realidade, este tipo de necessidade”, acrescenta.
O ex-ministro do Emprego e Segurança social insistiu também, nesta entrevista à RR, na abrangência de um eventual entendimento. “É muito difícil tentar obter um acordo junto dos parceiros sociais apenas numa vertente. O Documento de Estratégia Orçamental – DEO – está muito relacionado com a forma como está a Segurança Social e outros aspectos, com a forma como a economia vai crescer”.

“É preciso uma abrangência mais global. É preciso ter uma visão do país. É preciso ter uma visão acerca do modelo económico que queremos ter para o futuro. Julgo ser fundamental que os parceiros sociais se comprometam também com esse tipo modelo e só na base de uma discussão muito séria e com certeza algo demorada. Mas, eu julgo que há, neste momento, condições para aproveitar esta oportunidade”, diz Silva Peneda.

Deixemo-nos de hipocrisias. Só falta o PS ! PCP e BE nunca farão qualquer acordo! Não precisam dele mas o país também não!