Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Montijo ? "So near" é o que importa

Quando cá chegam pela primeira vez os turistas ficam deslumbrados com o aeroporto. So near...

Li algures que o actual aeroporto de Lisboa era para ficar onde é agora a Alameda D. Afonso Henriques onde está o Instituto Superior Técnico . Alguém com visão conseguiu afastá-lo para perto mas que a muita gente parecia longe.

Santana Lopes vem agora novamente com a hipótese Alverca. Bastava alinhar uma nova pista na vila Ribatejana, paralela à pista única do Humberto Delgado e, dessa forma simples, a rota de aproximação das aeronaves já não se cruzavam. E Alverca há muito que tem lá as oficinas ( OGMA) e a pista .

Mas tem o inconveniente de não ser "so near " e de ser preciso gastar uns milhões em acessibilidades . Ora as aves do Montijo são mais fáceis e mais baratas de afastar . E as acessibilidades estão já lá  só precisam de uns acrescendos.

O argumento maior dos ambientalistas é  a existência no Montijo do enorme aquífero de água doce que se estende até à Arrábia que pode ser fortemente poluído com a actividade aeroportuária. Um avião de 5 em 5 minutos. Um desastre.

Está bem, se calhar até têm razão, mas está tão " so near "

 

O ilusionismo de Costa : O acordo para expansão do actual aeroporto de Lisboa

António Costa cá anda no ilusionismo. Como se percebe claramente, hoje, não vai haver aeroporto nenhum no Montijo .

O acordo que parece ser o da construção de um novo aeroporto é, na verdade, o da expansão do atual Aeroporto Humberto Delgado, que vai aumentar a sua capacidade no curto prazo, para passar este ano já os 30 milhões de passageiros.

O acordo entre o Governo e a ANA era fundamental para permitir a revisão do acordo de concessão com a gestora de aeroportos, era fundamental para permitir uma nova fórmula de aumento das taxas aeroportuárias, essencial para financiar as obras de expansão do Humberto Delgado os tais 650 milhões de euros. Esta é também a prioridade da ANA, leia-se da Vinci, claro, que percebeu há muito que não tem de fazer um novo aeroporto, mas tem de fazer obras para expandir o atual.

O que é que não percebem ?

É preciso é manter o aeroporto dentro da cidade

Ou ainda não tinham percebido ? É a grande vantagem de Lisboa. Apanha-se o Metro e 15 minutos depois estamos no centro da cidade . Não há caso igual.

Do que se trata é expandir o aeroporto da Portela já e depois logo se vê . É que com a ancora do aeroporto actual só a solução Montijo serve . E com as eleições à porta é preciso mostrar "obra" nem que seja no papel.

Ninguém quer admitir que não há dinheiro para um grande e novo aeroporto que custaria uma pipa de massa que o Estado não tem ( o tal estado do BE que dá lucro...) e que a Vinci tem mas não está para lá enterrar.

Já agora vejam o vídeo de aproximação ao aeroporto Sá Carneiro no Porto. Sobrevoar a cidade aqui já não é um problema ?

 

 

As outras soluções não são solução

E o Montijo avança . E a expansão do aeroporto da Portela avança. Investimento privado de cerca de 1, 4 mil milhões. O Estado não entra com dinheiro. As outras soluções não são solução.

A avaliação ambiental estratégica tem como objetivo compararem várias soluções e o entendimento do concedente [Estado] e o nosso é que as outras soluções não são soluções", argumenta.

Assim, "o caderno de encargos que nos foi comunicado é muito claro e não deve haver envolvimento financeiro do Estado e deve haver uma evolução razoável e mantendo a competitividade das taxas aeroportuárias. Com este caderno de encargos as outras soluções que poderiam ter sido consideradas não são soluções, não encaixam na equação económica", defende Thierry Ligonnière.

O que é que não percebem ?

Estudo ambiental viabiliza Montijo

O aeroporto de Lisboa já perfaz as condições para que se avance com uma solução alternativa . O estudo ambiental viabiliza a solução Portela+Montijo . Lá para 2022 temos a solução operacional.

Conhecidas que são as filas de espera de duas horas que os passageiros enfrentam já hoje, como é que chegaremos a 2022 sem trágicos prejuízos para o turismo ?

Logo se vê como diz o outro . Mas não somos bons no desenrasca ?

Vai custar entre 300 e 400 milhões de euros

montijo.jpg

 

 

 

 

Perder 20 milhões de passageiros é o custo

Face ao potencial aumento de tráfego na Portela construir um novo aeroporto por 36 mil milhões de euros corresponde a perder 20 milhões de passageiros durante os anos da construção.

A hipótese Portela+Montijo é a única solução que permite, em tempo útil, corresponder ao potencial crescimento de tráfego na Portela. E atira a  capacidade de movimentação para 2035 .

Aos 36 mil milhões do custo do novo aeroporto há que acrescentar o custo dos acessos . E sempre foi claro que a proximidade do aeroporto da Portela à cidade é uma mais valia. As companhias aéreas já andam a dizer que não querem sair da Portela, mesmo as low cost , embora quem viaje nas low cost não espere desembarcar no centro da cidade.

Com o tráfego no aeroporto de Lisboa a crescer (6%) o dobro da UE até 2020, a "Portela + Montijo" "deverá permitir acomodar o crescimento de tráfego previsto pelo menos até 2050, desde que assegurado o alargamento e optimização da gestão do espaço aéreo, assim como uma abordagem eficaz à transferência das companhias low cost para o Montijo", afirma o relatório.

 

 

 

Matar o Elefante Branco aéreoportuário

É só uma questão de vontade política . A Base de Tancos "é quase chave na mão", tem lá tudo para funcionar como substituta da Base Aérea do Montijo . E com vantagens . Capacidade de crescimento, longe dos grandes aglomerados urbanos e nenhuma utilização civil.

"Não há infra-estruturas noutras bases para a aviação de transporte. A Ota não é opção por causa das aproximações no espaço aéreo à Portela, Sintra idem aspas... Tancos é quase chave na mão, apenas exige remodelações", reconheceu um oficial superior da Força Aérea.

Sendo Tancos uma área sem restrições de sobrevoo e a partir da qual não há aeronaves a operar, será ainda favorecido o treino das aproximações por instrumentos e das tripulações, que a Força Aérea prevê serem impossibilitadas com o uso da BA6 pela aviação comercial.

O Elefante Branco de Tancos já inactivo pode impedir a construção de um caríssimo Elefante Branco na OTA ou em Alcochete.

É bom não haver dinheiro para desperdiçar obriga a ligar a imaginação, recuperar infra-estruturas já existentes com vantagens . Parece que a guerra surda entre os interesses dos que querem mais obra pública milionária e o bom senso este prevaleceu.

O Elefante Branco da noite de Lisboa fechou . Quem diria que serviria de mote para uma decisão tão importante .

tancos.jpg

 

Quem viaja em low cost não espera aterrar no centro da cidade

Para quem viaja em low cost aterrar a uma hora de distância do centro da cidade faz parte do preço barato. É por isso que a expansão do aeroporto de Lisboa teria que ser feita com a utilização de um dos aeroportos existentes na zona de Lisboa . E o mais acessível e com melhor condições - está operacional para os militares - é o do Montijo. 

Há um canal que atravessa o rio Tejo que agora está assoreado  e que com obras de pouca monta e em breve espaço de tempo ficará operacional e largará os viajantes no Terreiro do Paço. Onde há transportes públicos, incluindo o Metro que acede rapidamente a toda a cidade 

Os novos proprietários da TAP também é assim que pensam, querem o Portela + Montijo e depressa.

Agora compare-se com o custo de um novo aeroporto e duma nova ponte sobre o Tejo.

portelamontijo.jpg