Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Vistos Gold - vamos cortá-los pela raiz ?

Luis Faria
1 h ·
 

A "amnésia" da esquerda ...

Vistos Gold – Será que o BE ainda quer cortar o mal pela raiz?

Nos primeiros sete meses deste ano, o investimento angariado atingiu os 656.226.116,72 Euros, mais 14,8% do que os 571.511.345,63 Euros registados em igual período de 2016.

Em 2014 o BE apresentou na AR, uma proposta para eliminação dos vistos Gold. Era então Pedro Passos Coelho o 1º Ministro.

"Achamos necessário cortar o mal pela raiz e por isso eliminar da legislação a possibilidade de criação de vistos Gold”, declarava o deputado bloquista Pedro Filipe Soares.

Será que para o Orçamento de Estado de 2018, ainda vão querer manter a posição de cortar o mal pela raiz?

Ou será que os vistos Gold apenas são uma maleita quando geridos pela direita, e um benefício quando geridos pela esquerda? "

Então o dinheiro sujo que estava por trás dos investimentos para atribuição dos Vistos Gold ? E eram uma injustiça porque os ricos podiam comprar uma nacionalidade portuguesa e os pobres não.

 
 
 
 

O teste do algodão a António Costa

O algodão não engana ....

António Costa disse que a descida da taxa de desemprego (a descer desde 2013) é o teste do algodão das boas políticas aplicadas (raramente tenho visto um elogio tão grande ao governo anterior de Pedro Passos Coelho por parte de António Costa).

Pedro Passos Coelho, por sua vez, realçou o que todos deveriam saber: que os bons dados actuais da Economia são consequência das políticas aplicadas pelo seu governo.

Por sua vez, António Costa, no seu inconfundível estilo ordinário, respondeu: "Se Dom Afonso Henriques não tivesse fundado Portugal, estes números não existiriam".

Agora, a CGTP parece querer ter a última palavra sobre o assunto:

"Caso o Governo não dê resposta à problemática da legislação laboral, virando-se para a esquerda e provando ser diferente do anterior Executivo, pode vir a enfrentar uma greve geral de trabalhadores".

Estamos portanto a aproximar-nos do verdadeiro teste do algodão:

Se as reformas do mercado de trabalho feitas pelo anterior governo foram assim tão irrelevantes como António Costa gosta de dizer, com certeza que o mesmo irá responder positivamente ao pedido da CGTP nesta matéria ...

Resistir é governar ? por Luis Faria

Caro Luís Marques Mendes, digo-lhe o seguinte: o governo e os seus acólitos estão a confundir capacidade de resistência com estratégia política. A esquerda acha que está a ganhar porque está a aguentar. Não porque esteja realmente a chegar a lado algum, ou porque tenha encontrado um caminho alternativo para a sustentabilidade das finanças públicas. Não há qualquer tempo novo para o país, nenhuma página foi virada, e muito menos a da austeridade. A única estratégia política de António Costa é resistir, gerir os problemas do presente e atrasar ao máximo os problemas do futuro. Soluções não existem, existem apenas adiamentos. As cativações não são um exclusivo de Mário Centeno. Todo o governo é uma imensa cativação, cativado à direita pelas regras da União Europeia e cativado à esquerda pelos pactos que assinou com o Bloco e com o PCP.

De facto, o diabo não chegou em Setembro, ou se chegou, anda por aí muito discreto e só à vista de quem olha para ele com atenção, porque o diabo está nos detalhes. Mas eu não me fiaria na virgem para o manter afastado para sempre ...