Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O famíliagate era só a parte visível do businessgate

António Costa diz que neste governo não há relações familiares assim admitindo que sempre era verdade haver familiagate no governo anterior.

Como nos mostra o escândalo do concurso do lítio este governo está, como nunca, mais dedicado ao business as usual. O businessgate.

Na RTP regressou a censura amordaçando a investigação a este escândalo antes das eleições. O secretário de Estado na sua prestação naquele canal veio dizer-nos, nervosamente, que estava tudo conforme as regras do concurso.

Uma empresa com três dias de existência, cinquenta mil euros de capital, sem nenhuma experiência no sector mineiro e, naturalmente, propriedade de socialistas, ganhou o concurso.Agora é só encontrar uma empresa mineira, com muito dinheiro e muita experiência e vender a licença por um monte de euros.

E Portugal assim, sem burocracias e sem barreiras escusadas, tornar-se-á um dos principais produtores de lítio, terá a sua refinaria e até a sua fábrica de baterias.

Estes socialistas são danados para a brincadeira.

Vamos lá ver se não aparecem por aí os indignados do costume

A Mina do Barroso está a assumir-se como a maior exploração de lítio da Europa. Os ingleses têm investido e preparam-se para continuar numa mina que tem enorme potencial agora que os carros eléctricos movidos a bateria ganham maior protagonismo. Esperemos que não apareça por aí uma comissão espontânea a requerer o fecho da mina por razões turísticas.

A Savannah Resources chegou a Covas do Barroso em maio do ano passado. Em dezembro último, a empresa anunciou os primeiros resultados “excepcionais” obtidos na zona, após as primeiras prospeções. Na altura, os britânicos anunciaram a descoberta de “algumas das melhores interseções de espudomena lítio alguma vez descobertas num depósito europeu”. A mina ocupa uma área de 1,018 quilómetros quadrados.

Há petróleo branco em Portugal

O lítio que existe por cá tem a pureza necessária para o fabrico de baterias e para a indústria da cerâmica. Esperemos que não apareçam por aí umas petições contra a exploração do lítio .

A Europa está a avançar com as gigafábricas de produção das baterias para os carros eléctricos assim fazendo concorrência à americana Tesla. A Alemanha já deu o tiro de partida .

De acordo com um comunicado divulgado pela empresa nesta segunda-feira, 29 de Maio, os testes mostram que pode ser possível produzir carbonato de lítio - um dos elementos usados na produção das baterias eléctricas com aplicação em automóveis - com um grau de pureza de 99,97% a partir da petalite extraída naquela prospecção em Trás-os-Montes.

Este facto "reduz o risco de desenvolvimento" do projecto daquela empresa em Portugal, que pretende tornar-se num fornecedor sustentável de lítio da Europa.
 
"Com a confirmação de que pode ser produzido carbonato de lítio a partir da petalite de Sepeda, tal como esperado, este é outro passo importante para o objectivo estratégico de nos tornarmos num fornecedor sustentável de produtos de lítio para o florescente mercado europeu," afirma o CEO da Dakota, David Frances, no comunicado.
 
Agora esperemos que o estado dê corda aos sapatos, facilitando .
 

wm.jpg

 

 

Ainda não há uma petição contra a gigafábrica ?

Temos um dos maiores depósitos de lítio, riqueza nacional que vai obrigar a cavar algumas serras do país a céu aberto. Uma ferida aberta no ambiente.

fábrica é tão grande que só pode ser instalada no Alentejo onde há espaço, perto do Porto de Sines e de Espanha . Este monstro não estraga o turismo como as plataformas de exploração do petróleo a 40 Kms da costa Alentejana ?

Milhares de trabalhadores directos e outros tantos indirectos vão ficar na dependência de um americano louco que nos quer roubar o sol. Não contentes andamos a escrever livros e a oferecer tesouros históricos.

A acrescentar à ‘caixinha de presentes’ que Musk vai receber, entregue pelo movimento criado no Facebook, está um exemplar de uma versão inglesa dos Lusíadas e do Livro do Desassossego, de Pessoa, um voucher com uma viagem paga e uma chave-secreta que “abre um baú do século XV no Museu dos Coches, na sala do Picadeiro Real”, afirmou Miguel Coelho, divulga o Sapo24. O baú, “esconde as conclusões de um estudo” que pretende mostrar porque é que a Tesla deve instalar a fábrica de baterias em solo lusitano.

gigafabrica.jpg