Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Com Salgado em liberdade não há perigo de destruição de documentos ?

Hoje soubemos que a PJ fez buscas na casa de Ricardo Salgado e em mais 50 outros locais. Quer dizer, com Salgado em liberdade, há mais de um mês, a PJ acha razoável que documentos e outros elementos comprometedores não tenham sido destruídos. Ora, este é um dos argumentos ( destruição de provas) que mantém Sócrates na prisão.

Então agora nem entre poderosos a justiça é imparcial ?  Em Julho deste ano, Ricardo Salgado foi constituído arguido por suspeitas dos crimes de burla, abuso de confiança, falsificação e branqueamento de capitais. 

Terminado o interrogatório, Ricardo Salgado saiu em liberdade, mas mediante o pagamento de uma caução de três milhões de euros e "proibição de ausência do território nacional e de contactos com determinadas pessoas", segundo nota da Procuradoria-geral da República (PGR)

 

 

Quanto mais swapas melhor te conheço

Então podemos saber em que data é que a documentação foi destruída? É que se as contas não me falham e se a documentação é de 2008 e foram destruídas três anos depois quer dizer que foi em 2011. Ora em 2011 saiu um governo e entrou outro. Por quem e quando foi dada a ordem de destruição?

A desonestidade de quem escreve sobre este assunto é pelo menos igual aos destruidores. Interessa lá saber quem é responsável? Os "nossos" não têm culpa nenhuma .

Quando há destruição de documentação faz-se um relatório com a identificação dos documentos destruídos, ordenante e executante. É fácil saber quem está metido na tramóia. Mas é claro que isso não interessa nada. Mas pelo sim pelo não vai-se juntando a foto da ministra. Depois andam por aí a dar lições de ética.