Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Os depositantes pagam a factura na CAIXA ?

eurodeputado do PS Manuel dos Santos considera possível que os depositantes com mais de 100 000 euros venham a ser chamados a converter em capital o montante acima daquela importância. Mais um prego no caixão da CAIXA que este governo de braço dado com a extrema esquerda está imbecilmente a enterrar. A ideia é mesmo transformar a CAIXA num banco privado ?

Se os novos administradores não entregarem aquelas declarações no tribunal e acabarem afastados por incumprimento da lei, a Comissão Europeia pode optar por voltar com o processo atrás e , nesse contexto, impor um ‘bail-in”, alertou.

Esta solução, no fundo, faz deslocar os encargos destinados a salvar os bancos dos contribuintes para os investidores e depositantes obrigacionistas. Será “uma situação extrema” que espera não venha a acontecer, “mas com esta trapalhada toda na Caixa, que já dura desde janeiro deste ano, é uma possibilidade que não pode ser excluída”.

E quando o pior pode acontecer é quase certo e vindo de um socialista ainda mais provável.

 

Quem beneficiou com a morte do BANIF em 2015 ?

Sabemos de onde vem o dinheiro mas não sabemos para onde vai. " Uma resolução feita no próximo ano, no âmbito da união bancária, toda a banca europeia poderia ser chamada a cobrir os prejuízos do BANIF. Mas, claro, todo o processo seria liderado pelo BCE, ou seja, e teríamos aquilo que Horta Osório, presidente do colosso britânico Lloyds Banking Group, gostaria que tivéssemos: um “apuramento claríssimo das responsabilidades”. Para evitar esta transparência, seremos nós a suportar todo o custo, quando estávamos a 15 dias de poder usufruir da solidariedade europeia."

"Resumindo. Quem beneficiou com a morte do BANIF em 2015? Beneficiaram os detentores de depósitos superiores a 100.000€ e os detentores de dívida sénior, que ficaram salvaguardados. Beneficiou o bloco central de interesses, porque conseguiu evitar que o BCE viesse ao BANIF fazer uma auditoria profunda aos seus negócios. Quem perdeu? Os portugueses."

Contribuintes têm outra factura para pagar diz António Costa

Esta é relativa ao Banif . Depositantes têm garantias mas os contribuintes pagam. Não sei se está certo. Compreendo que a ideia do Primeiro Ministro nesta altura do campeonato seja impedir uma corrida dos depositantes ao Banco o que poderia ter consequências sistémicas. O mesmo argumento que levou à nacionalização do BPN com as consequências que se conhecem. 

Os montantes envolvidos no BES são muito maiores mas os caminhos não são muito diferentes como se vê.

O BNIF está a ser prejudicado por ao mesmo tempo estar a correr o processo de venda do BES. O governo dá prioridade ao BES. Tomé confirmou que já tinha tentado alienar aquela participação maioritária no início do ano, mas tal não foi possível e o culpado, diz, é o Novo Banco. "Na altura, o Governo, como também tinha o processo do Novo Banco em curso, muito provavelmente não quis misturar os processos e, portanto, o que nos disse foi o seguinte: se aparecerem propostas não solicitadas, olhamos, mas, abrir um concurso de forma estrutura não nos parece melhor solução nesta altura", declarou à SIC.

Agora a corrida termina no final do ano.

Proteger os depósitos ou conceder crédito?

O Fernando Ulrich vai mudando conforme os ventos que soprem da parte do governo. Agora diz que se não há crédito é porque o governo não fez o trabalho de casa. E que a "aversão ao risco" faz parte da actividade bancária. Os bancos têm antes de tudo de proteger os depósitos e só depois concederem crédito.

Acho que sim. Mas o governo também deveria ter como prioridade financiar a economia e não os bancos.