Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Na China todos sabem que estão a ser vigiados

Há na China 200 milhões de câmaras que vigiam a população e que são capazes de identificar pessoas e até matrículas de carros.

Estive na China há poucos anos e esta vigilância era bem visível . Na rua há polícia e militares.

Na mesma rua de um lado há famosos hotéis e marcas de moda ocidentais do outro lado há bairros de lata .

Os meus amigos daqui de Portugal pediam-me notícias sobre um escritor chinês que na altura foi Prémio Nobel . A verdade é que as notícias que eu tinha sobre o laureado eram as que me chegavam daqui.

Enquanto isso, nalgumas zonas do país, está em vigor um sistema de crédito social, em que as autoridades definem o que é ou não correto — e punem quem não age de acordo com os princípios morais impostos pelo regime.

A liberdade na UE e a infame privação de direitos na China

Só há um método eficaz de desenvolver e fixar as pessoas no interior :

Só há um método realmente eficaz de defesa do interior: o sistema hukou chinês de registo doméstico, impondo a cada um viver na terra onde nasceu. O resultado é a infame privação de direitos de cidadania e acesso a serviços básicos de milhões de migrantes internos clandestinos. Pelo contrário, os quatro pilares da União Europeia, estabelecidos no Tratado de Roma de 1957, são a liberdade de movimento de bens (título I), pessoas, serviços e capital (título III).

O pesadelo orwelliano está tornar-se uma realidade na China

Não obrigado. Milhões de câmaras vigiam o comportamento dos cidadãos na China. O Big Brother está a tornar-se uma realidade . Um pesadelo. Espera-se que os mesmos de sempre daqui para a frente venham vender-nos uma narrativa conveniente. Distinguir os bons dos maus cidadãos.

Estive na China há uns anos e o que vi não deixa dúvidas a ninguém. Impera o medo . Nos hotéis, nas fábricas, nos museus era evidente a sombria presença dos esbirros do sistema.

Foi na altura em que um escritor chinês ganhou o prémio Nobel da Paz . De cá diziam-me para eu relatar o que via e ouvia acerca do que se passava com o cidadão que estava numa prisão. Mas a verdade era que as notícias chegavam do Ocidente porque na China era proibido pronunciar o nome do laureado . Tentei falar sobre o assunto mas era olhado com medo e imediatamente afastado. 

Actualmente, a China possui 176 milhões de câmaras de vigilância administradas pelo Estado em todo o país, mas o Estado não está satisfeito. É preciso mais, para que nada fuja do controlo estatal. Nos próximos três anos está prevista a instalação de mais 450 milhões de câmaras para que possam fornecer informações em tempo real.

É isto que os comunistas nos querem impor. Em vez de uma sociedade aberta e com direitos uma sociedade fechada, controlada pelo Estado que por sua vez seja controlada pelo partido.

Na China o Partido Comunista tem 80 milhões de militantes que controlam um país com mil e trezentos milhões de pessoas.

Argumento de quem me acompanhava: A China possui 7% da terra arável e 21% da população mundial. A prioridade é matar a fome, matar a fome, matar a fome.

Não é a prioridade do Ocidente é bom que os simpatizantes de tal sistema o admitam por muito que lhes custe.

A China tem 7% da terra arável e 21% da população mundial

Dizia-me o guia : aqui na China temos três prioridades . Matar a fome, matar a fome, matar a fome. Temos 21% da população mundial e 7% da terra arável. E qual pode ser a solução ? Comprar terra onde a houver .

E a China anda a comprar terra agora na Austrália e concorre ao banco de terra em Portugal. Na Austrália, em parceria com empresas locais quer comprar fazendas agrícolas maiores que o território português.

Um consórcio liderado pelo chinês Shanghai Pengxin Group, assumiu o controle de 1% do território australiano, apesar da oposição do Governo do país, que tentava bloquear a operação há alguns meses. A compra das terras ocorre numa onda de grandes aquisições de activos estratégicos no exterior em curso por parte de empresas chinesas.

TAPem os olhos está a entrar dinheiro chinês

Foi bem escondido mas o dinheiro falou mais alto. Nas negociações em que este governo entra há sempre alguma coisa que é escondido. Ao mesmo tempo que anda a reunir com os idiotas do movimento "Não TAPem os olhos", garantido que a TAP continua pública, é aberta a porta aos privados, melhor dizendo, ao dinheiro dos privados e do negócio do transporte aéreo que a TAP e o governo não têm.

Preto no branco: “O Estado português autoriza desde já a entrada no capital social da Atlantic Gateway pela HNA, em percentagem a acordar entre os acionistas da Atlantic Gateway e a HNA.” E mais: estando previsto o financiamento de €120 milhões à empresa, dos quais €30 milhões pelo Estado e €90 milhões pelo consórcio privado, “o Estado português autoriza igualmente que a HNA possa vir a subscrever diretamente parte das obrigações”, sendo que “os direitos que neste memorando de entendimento se referem à Azul se referirão à HNA”.

Os mercados dos US e Brasil bem como da China abrem-se para a TAP tornando-a uma verdadeira companhia de transporte aéreo global. E viável. Foi assim tão dificil perceber o óbvio ?

A combinação do capitalismo com a Democracia

Em recente e muito interessante entrevista ao Expresso, Francis Fukuyama, está convicto  que a combinação do capitalismo e a democracia funciona. O capitalismo sozinho produz enorme desigualdade, poluição, formas variadas de injustiça e a parte democrática vem quando as pessoas que são prejudicadas por isso usam o seu poder politico para regularizar o sistema. O capitalismo também produz muita riqueza e dá às pessoas empregos, oportunidades e crescimento económico mas precisa de ser regulado e isso é um acto politico.

Agora que passaram 30 anos sobre o período de desregulação Reagan/Thatcher sabemos que fomos demasiado longe, deixamos os mercados à solta e a comunidade politica democrática precisa de exercer o seu poder politico para promover mais redistribuição e controlo dos excessos do capitalismo não para o destruir mas para o preservar.

Na China de certo modo acontece a mesma coisa . Está a ficar uma das sociedades mais desiguais do mundo porque o Partido Comunista autorizou a emergência desta forma de capitalismo sem freio e aí não é o povo que se levanta e tenta controlar o capitalismo através de um processo democrático e sim o próprio Partido Comunista que tenta representar o povo.

Há 300 anos a Europa era muito desigual e a democracia  emergiu dolorosamente e ao cabo de muita luta politica . Não aconteceu tudo de uma vez. É preciso tempo.

 

A Grécia agradece os "Vistos Gold" que Portugal não quer

Uma boa ideia que trouxe para o país muitos milhões foi, rapidamente, destruída pela avidez de uns quantos e pela suposta grandeza moral dos mesmos de sempre que não suportam ver o país ganhar dinheiro. Os que depois choram porque não há empregos.

Engaiolados, os que praticaram actos condenáveis, julgava eu que já tudo estava a funcionar. Nada disso. Primeiro veio a informação que o número de vistos concedidos tinha caído para seis, o que poderia ser explicado à luz dos acontecimentos menos transparentes. Mas cá no burgo as coisas são sempre piores. Afinal a regulação do processo encalhou numa Lei ainda não aprovada e o número de vistos continua pelas ruas da amargura.

O FMI já veio dizer que o primeiro ministro grego deve correr para a China e colher investimento. O tal dinheiro que cá para a gente só tem defeitos. Lavagem, gente pouco recomendável, origem obscura...

Segundo Luís Lima, depois da "operação Labirinto", "surgir mais um entrave processual desta ordem, é convidar os investidores a procurarem outros países para investirem o seu dinheiro. Esta situação é incompreensível e quem fica a perder é, apenas e só, o nosso País".

Estamos sempre a dar lições ao mundo!

 

 

A China é a última ilusão comunista

China consumiu mais cimento em dois anos que os USA em todo o século XX. Cidades fantasmas onde não vive alma viva. Planeamento central da economia, economistas Keynesianos formados nos USA à mistura com um tímido empreendorismo privado levaram a economia Chinesa a crescer direita ao abismo.

A China é uma grotesca aberração económica, cujo modelo económico simplesmente não tem semelhança a nenhum outro modelo económico já adoptado por algum outro país em algum momento da história — nem mesmo ao modelo mercantilista de estímulo às exportações originalmente criado pelo Japão, e que já se comprovou insustentável. 

O governo chinês está nas mãos de um grupo de velhos comunistas que foram criados sob o regime de Mao.  Eles acreditam em planeamento central, ainda que de uma maneira mais diluída.  Eles enviaram seus jovens mais inteligentes para estudar economia nas universidades americanas.  Esses jovens retornaram para a China keynesianos.

A economia chinesa é hoje uma mistura maluca de empreendedorismo de livre mercado, de investimentos subsidiados e dirigidos pelo Banco Central, de mercantilismo keynesiano, e de planeamento central comunista.  Trata-se de um acidente monumental que está na iminência de acontecer.

Diziam à boca pequena que iria ser a economia mais forte do mundo e que já tinha ultrapassado os USA.

 

Camarada Jerónimo, a China é uma ditadura e o seu povo é muito pobre

A China é uma ditadura de partido único, o seu povo é muito pobre e é socialmente profundamente desigual. Inventou "um país dois sistemas" para usar o sistema capitalista de produção para assim criar uma classe média e uns quantos milionários que agora andam a fugir do país comprando imobiliário na Europa. Nesta Europa que aos seus olhos e aos do seu partido é o inferno na terra. Inferno que atrai tanta gente depois de terem vivido nos paraísos em que os comunistas acreditam.

"Lembrar a grande promessa feita há 15 anos, na cimeira de Lisboa, em que se dizia que a UE será em 2010 uma economia do conhecimento, a mais dinâmica e competitiva do Mundo. Estamos em 2015 e vemos como estamos. Penso que quem concretizou isto foi a China”, ."

Eu visitei a China vi com os meus olhos as fábricas desactualizadas e poluidoras, as ruas cheias de polícias e de militares, os bairros onde não entra a água nem o sol. E vi, do outro lado da rua, os hotéis de luxo e todas as marcas da moda, a que os camaradas chamam " o lixo do capitalismo".

O Partido Comunista é o mais honesto de todos. Quer Portugal convertido numa ditadura, com crianças de 12 anos a trabalharem nas fábricas e a produzirem sapatos que são vendidos na Europa a 5 euros.

 

Nem tudo o que é Gold é ouro

Há um país - a China - que anda a comprar importantes empresas em Portugal fazendo entrar no país muito dinheiro. E esse comportamento faz parte de um movimento mais amplo, e que terá como objectivo estratégico estender a sua influência aos restantes países da UE. 

Esse mesmo país vê um êxodo de cidadãos seus com destino a Portugal, comprando casas luxuosas e, com isso , obtendo vistos que lhes permite viajar em todo o espaço europeu. Sem controlo do governo chinês cuja natureza política é a que sabemos. Paralelamente,o mesmo governo, começa a perceber que alguns desses cidadãos obtêm o visto com bastante facilidade pese, digamos, algumas situações mal resolvidas.

Com a compra da casa esses cidadãos entram e saiem sempre que quiserem, sem burocracias e sem delongas. Ora, isto é, muito tentador para os individuos e muito preocupante para aquele governo. Que não é bem como os governos europeus que permitem que uns "convertidos" vão ao Iraque cortar o pescoço  a uns quantos infelizes e que depois voltem como se viessem de férias.

É isto suficiente para levar as polícias portuguesas - empurradas - a levar a cabo uma operação desta envergadura envolvendo tanta gente em importantes funções? É que ainda a semana passada em cada dez portugueses nove, juravam que havia uma Justiça para os poderosos e outra para os fracos