Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Sondagem - PSD é o partido que mais sobe

E o PS desce pouco mas desce. A CDU também sobe para os 10,2% . Os portugueses não podem nem syrisam.

Os eleitores que mudam ora votando no PS ora no PSD são os mais independentes e os mais informados. Não vão em promessas e sabem o que se está a passar nos outros países em dificuldades. Como se previa a Grécia é uma vacina.

 

 

A lição da CDU

Olhem para a CDU que passou de 10,7% dos votos para 12,7%. Um colectivo partidário vencedor composto por milhares de comunistas, verdes e outros patriotas e democratas. Jerónimo, com aquela cara desenhada a cinzel é boa pessoa. Acredita, piamente, que o PCP está pronto a governar como se não fosse necessário os portugueses darem-lhe não 12% mas pelo menos 42%. Mesmo explicando-lhe que se a abstenção for menor ( e vai ser muito menor nas legislativas)  a CDU cai novamente para os 8%. Mas pronto, Jerónimo não é obrigado a saber que os seus fiéis não se abstêm e que isso tem como resultado subir na votação em percentagem. Na realidade, os seus votantes são os de sempre e os mesmos. 

Talvez o PS perceba como é que se ganha e se dá lições com 12% e a não cair em crise com 32,4% dos votos. O Jerónimo é boa pessoa e explica.

 

Orgulho no partido social democrata alemão

A coligação com a CDU para formar governo recebeu o apoio de 76% dos membros do SPD. Após dois meses de intensas negociações, a Alemanha tem um governo com um programa minuciosamente pensado e discutido.

Para além do esmagador "sim", Sigmar Gabriel tinha também razões para estar eufórico com a elevada participação na consulta – 78% dos 474 mil membros do partido responderam à chamada e a maioria deles deu um novo fôlego ao líder do SPD, depois da humilhação sofrida nas eleições de Setembro.

Há três meses, a CDU/CSU recebeu 41,5% dos votos, ficando a curta distância daquela que seria uma histórica maioria absoluta, que já não acontece na Alemanha desde 1957. Os sociais-democratas do SPD não foram além dos 25,7%, o seu segundo pior resultado desde a II Guerra Mundial.

Seguiram-se semanas de difíceis negociações com vista à formação de um novo governo. As principais conquistas do SPD foram a introdução de um salário mínimo no país (que vai começar a ser pago a partir de 1 de Janeiro de 2015, a 8,5 euros à hora) e uma diminuição da idade da reforma (63 em vez de 67 anos para quem trabalhou 45 anos).

Não há uma boa notícia sem uma má

Na Alemanha a CDU de Merkel vai juntar-se aos social democratas do SPD. Boa notícia. O SPD vai puxar pela economia e por menos austeridade. Mas em Portugal há ameaças bem concretas que não auguram nada de bom. Embora não seja surpresa nenhuma depois da lavagem levada a cabo nos últimos dias.

Dizem mesmo  que a quem sair o "euromilhões" é estatisticamente relevante a possibilidade de lhe sair uma "fada má" em sorte. Confirma-se!

Os liberais dão lugar aos social - democratas

O SPD pode vir a fazer a grande coligação com a CDU. Com vantagens para o reforço das políticas de desenvolvimento. O SPD tem divergido da CDU na mutualização da dívida dos países do sul, no abrandamento da austeridade...

A vitória de Angela Merkel e a perspectiva de formação de uma "grande coligação" entre o seu partido conservador (CDU) e os sociais-democratas (SPD) suscitou em toda a Europa a esperança de que as exigências alemãs de austeridade aos países do Sul sejam atenuadas.

O que não quer dizer que o trabalho de casa não tenha que ser feito. Se o corte nas pensões não passar qual é a alternativa? Aumento de impostos?