Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Na cultura PCP e BE até me colocam ao lado do Medina

É esta a sua ideologia. Não interessa mais nada que não seja manter nas mão do Estado ( no caso da câmara) os teatros (no caso). Entregar a gestão de um teatro aos privados "é entreguismo e festerola "

O Presidente da Câmara, Fernando Medina, veio em ajuda da sua vereadora. "Se vingasse a tese do PCP não teria havido um único teatro entregue a uma companhia, nem a Barraca nem ao Teatro Aberto nem outro", disse. E após alguma troca de argumentos com os deputados do PCP e do BE, Medina manifestou a sua incompreensão pelo facto de alguns partidos serem contra a gestão privada de um teatro antes mesmo de ser conhecido o caderno de encargos: "O PCP acha mal que haja salas de espetáculos que tenham público, que vendam bilhetes. Já a Câmara está muito aberta a fazer o debate sobre os termos do contrato do aluguer da sala que continua a ser de teatro. Mas não alimentamos qualquer tipo de preconceito sobre companhias ou empresas."

 

 

Se for para deixar tudo como está não vale a pena mudar

Se for para ficar prisioneiros desta vilania que não nos deixa sair da pobreza o melhor mesmo é a geringonça. É que o país está a empobrecer e a divergir da média da União Europeia. Estamos a produzir em 2017 o mesmo que produzíamos em 2009 . O que é que se podia esperar se não há investimento que se veja nem público nem privado ? E se temos na governação quem é contra a economia social de mercado ? E contra as exportações ?

Já na Câmara de Lisboa as reversões de rendimentos vão de vento em popa. Salário mínimo é para os outros .

A VW já arranjou alternativa para a produção do T-ROC . O Arménio Carlos depois arranja uma narrativa a explicar mais uma desgraça nacional com o patronato como agressor. Já ele e os camaradas continuam com o salário bem acima do mínimo e garantido. Cinco mil postos de trabalho em risco nada que tire o vigor aos camaradas.

sarmento.jpg

 

A golpada na Câmara de Lisboa ensaiada no Porto

Em Lisboa, na câmara, quem ganha não aquece o lugar. A maior câmara do país serve de elevador político para os medíocres que nunca ganharam eleições. Começou com Sampaio e João Soares , depois com Costa e agora com Medina.

O PS ensaiou a golpada com Rui Moreira e Pizarro. Garantia um lugar de ministro a Rui Moreira e este largava a presidência da câmara ( que ganha de caras) para o segundo, Pizarro, ex-secretário de estado da saúde de um governo PS.

O problema é que Rui Moreira disse não, não vai para ministro nem sai do Porto. Logo lhe saltaram às canelas os socialistas amestrados. O que era bom antes passou a ser mau . A vitória nas eleições autárquicas que já estava no papo é agora um enorme problema para o PS. E a culpa é do Rui Moreira que não quis enganar o povo da sua cidade.

Mas há uma luz ao fundo do túnel. Um socialista do Porto, Manuel dos Santos, denunciou em tempos um acordo secreto entre Costa, Moreira e Pizarro. Manuel dos Santos não gosta de Costa mas, em tese, o que disse faz sentido. Costa garantira a Moreira um lugar, ou num futuro governo ou na lista para o Parlamento Europeu. Pizarro saltaria para a chefia da câmara.Sem ganhar eleições, tal qual em Lisboa.

Quanto à candidatura socialista ao Porto ficará para a história das histórias mais bizarras e mal contadas da pequena política à portuguesa. Quem se mete com independentes leva. 

 

 

Em Carnide o povo saiu à rua

A Câmara de Lisboa e a empresa EMEL acharam por bem implementar sete máquinas para pagamento do parqueamento no centro histórico de Carnide sem dizer água vai. A Junta de Freguesia tocou a rebate e o povo - o autêntico e de forma espontânea - desceu à rua e arrancou os parquímetros. 

...o protesto dos cidadãos, ultrajados por não terem sido consultados antes da colocação dos equipamentos de estacionamento pago, foi ordeiro e pacífico: “são pessoas de bem” que apenas querem fazer valer os seus direitos nas decisões para a zona onde habitam, assegurou o autarca.

...as palavras-chave são “ação popular” e “espontaneidade”. Talvez por isso, explicou também o autarca, para arrancarem do chão os aparelhos os carnidenses utilizaram como ferramentas “as próprias mãos” e “uma enorme vontade de remover uma injustiça”.

A sociedade civil tem cada vez mais consciência dos seus direitos e não tem medo de os defender . Esta sim é uma verdadeira notícia .

A noite em que os parquímetros de Carnide caíram com o vento...

carnide.jpg

 

Os cobradores de fraque

Além dos impostos também pagamos as taxas e taxinhas que uma vez inventadas somam às já existentes e assim sucessivamente. Não acabam mais .

Em Lisboa foi inventada a taxa de um euro por turista e, agora, a câmara de Cascais quer cobrar 1,50 euro por turista/noite até um máximo de cinco . É sempre assim, os maus exemplos são seguidos é uma questão de tempo.  

Ainda me lembro do selo do carro, há muitos anos foi apresentado como tendo um tempo de vida limitado. Já lá vão duas ou três dezenas de anos. E assim chegamos ao máximo histórico . 

Quando foi criada a taxa em Lisboa o presidente da câmara de Cascais escreveu contra a taxa mas agora : é que o presidente da mesa da Associação de Turismo de Cascais, organismo que lançou a proposta, é Carlos Carreiras, também ele presidente da câmara, o que poderá significar que haverá uma via verde para que o cenário agora proposto seja rapidamente colocado em prática.

Eles, os cobradores de fraque, estão em toda a parte.

fraque.jpg

 

Santana Lopes em campanha para a câmara de Lisboa

campanha está a desenvolver-se à frente de todos. Agora já não há dúvidas que o PSD está todo com Santana Lopes. É preciso ver como se comportam as sondagens. Se forem simpáticas o nome está lançado e o próprio aceitará.

O Presidente da Câmara - um tal de Medina - que não ganhou nenhuma eleição, anda a lançar obras por toda a cidade. Sim, também está em campanha. O PS também anda a analisar as sondagens mas é mais difícil não apoiar o presidente em exercício.

Cristas já fez o seu trabalho. Está disponível e obrigou o PSD a definir-se. Se a direita não ganhar a culpa é toda do partido social-democrata.

É, claro, que Santana Lopes não tem pressa, é Provedor da Misericórdia, uma instituição com braços compridos que chega longe e a muitos lugares mesmo a nível nacional. Se o Presidente da Câmara em exercício pode apresentar obra o Provedor não pode menos. Com a vantagem de não ter que dar uns nós cegos no trânsito da cidade e chatear os Lisboetas votantes. Com estas trapalhadas, a última das quais no concurso para adjudicação da obra mais emblemática, todos se vão lembrar do túnel do Marquês. Feio mas útil.

Daí a Santana Lopes é um atalho.

 

Santana Lopes avança para recuar

Santana Lopes precisa que o não esqueçam, é sempre um potencial candidato mas nesta altura da sua vida não avança. Ao oferecerem-lhe o lugar de Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa  em certa medida manietaram-no. Não se deixa assim o lugar de provedor que tem braços longos a nível nacional por uma candidatura a uma câmara mesmo à de Lisboa. Mas é preciso mostrar aos eleitores que não está agarrado ao lugar. A não ser...

Bem, se as sondagens lhe derem a garantia que ganha, a Câmara de Lisboa é a melhor rampa de lançamento para a Presidência da República e aí a decisão, sendo sua, vai passar muito pela estratégia nacional do PSD . É que as autárquicas podem ser o dobrar a finados do PS e do governo e, Santana Lopes, passaria a ser uma peça muito importante no xadrez da política nacional.

capa_jornal_sol_11_06_2016.jpg

 

 

O Tribunal Constitucional vai continuar a ser amigo ?

As taxas de António Costa não são taxas são impostos, inconstitucionais, dizem os constitucionalistas. Vai ser interessante ver a posição de quem batia palmas ao TC . 

Quem é que vai pagar as taxas ? O empresário que vem a Lisboa tratar de um assunto também paga? E os trabalhadores que dormem em Almada mas desembarcam em Lisboa também pagam ? E as "low cost" que como o nome diz oferecem preços baixos também aplicam a taxa aos seus passageiros ?

E os turistas que visitam Lisboa também visitam Cascais e Sintra . Como é que se divide a receita ? E se Lisboa está, com a taxa, a reduzir a procura e, assim, a prejudicar Cascais e Sintra ? Como é que se faz? O autarca de Cascais já chamou à taxa "medieval". Basílio Horta em Sintra olha para tudo isto sem margem de manobra não vá desagradar ao chefe.

Mas o pior de tudo é se estas taxas , numa altura em o turismo em Lisboa cresce todos os anos, não vai tirar gás a uma actividade fundamental para o país. Esperemos que o TC ajude Lisboa como tem ajudado o país. Reprovando. Pelo menos é o que os ilustres economistas da oposição têm argumentado. Tudo o que corre bem deve-se aos cortes do TC.  

Quanto a Costa não foi preciso esperar muito. A receita é a mesma.