Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Se mexe, pisa

Por cá há um principio nunca esquecido. Tudo o que tem vida é para matar. A Baixa de Lisboa estava morta, deserta e agora está a vibrar de turismo ? Pisa. É que os turistas estão a dar vida ao que outrora estava morto e portanto há que os afastar.

Desde logo acabando com o arrendamento temporário, mais barato, e que tem levado à reabilitação do edificado em ruína ao mesmo tempo que ajuda muita gente com um rendimento extra.

E aquela loja, centenária, às moscas há anos, foi transformada num aprazível restaurante com uma esplêndida esplanada só possível numa cidade com o sol e a luz de Lisboa ? Estão a descaracterizar a cidade. A tirar os passeios aos peões.

E os jovens turistas à noite a divertirem-se nas ruas dos mais afamados bairros fazem barulho? Pisa. Outrora, só a lua acompanhava o silêncio e a decadência. Very typical . Os edifícios meio destruídos onde reinavam o álcool a droga e a prostituição desapareceram.

E o pequeno comércio revigorado, a leitaria bem lisboeta e o mini mercado lá da rua voltam a ter esperança? Pode lá ser. E os táxis indignados cheios de turistas porque passaram a ter concorrência ? Pisa.

Os bem pensantes estão contra, a cidade que era só sua, de gente prendada, que usufruía de bons restaurantes entre duas indignações, vê-se agora compelida a partilhar o que por ordem divina era só seu.

ribeira das naus.jpg

 

Pode lá ser tanta gente jovem, bonita, diferente, vinda de longe encher a nossa cidade de vida ? Pisa.

Afinal a loura não era uma turista

Presidente do Turismo de Portugal diz que não há turistas a mais em Lisboa até há margem para crescer. Há meia dúzia de anos o problema era a desertificação do centro de Lisboa, lembra. Havia que atrair jovens para ocuparem as casas devolutas, puxar pelo comercio e hotelaria enfim, reabilitar os bairros populares. Agora percebemos que quem assim falava andava de tanga, sem clientes, o centro histórico dizia-lhes pouco. Chegaram os turistas com o seu poder de compra e os "queixinhas" com os bolsos meio cheios já acham que é demais. Querem lá saber dos jovens e da reabilitação urbana.

Tal como o PÚBLICO noticiou, há quem se sinta cada vez mais esmagado pelo fluxo de turistas na capital com todo o impacto que este movimento traz à cidade, do aumento do trânsito e do lixo, aos apartamentos de aluguer temporário que ocupam, agora, os bairros históricos.

"Não acho que seja possível dizer com cara séria que há turistas a mais. Isso é esquecer um passado não muito longínquo onde, nomeadamente, nos centros urbanos havia desertificação, decadência económica e das próprias estruturas edificadas. O turismo tem permitido fazer uma recuperação e uma regeneração importantes"

Afinal a loura que me acossava não era uma nórdica era uma velha.