Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Aí está uma aceleração da economia sustentável e robusta na Zona Euro

A economia na Zona Euro acelerou novamente em Fevereiro puxada pela Irlanda, Espanha , França e Alemanha. Confirma-se que a crise está a ficar para trás . Os outros países serão arrastados nessa aceleração como é o caso de Portugal . Pelas exportações não pelo consumo interno .

A economia da Zona Euro cresceu, em Fevereiro, ao ritmo mais acelerado em quase seis anos, impulsionada sobretudo pelo aumento da produção no sector da indústria. Apesar de o sector industrial ter dado o impulso mais expressivo, com o crescimento mais acelerado da produção desde Abril de 2011, o sector dos serviços também contribuiu para a melhoria do índice, com a actividade empresarial a crescer ao ritmo mais rápido dos últimos cinco anos e meio.                                                                                                                    Agora que o PCP e o BE vão iniciar as suas campanhas de preparação para a saída do Euro...

 

Economia melhorou em todos os países da Zona Euro

Fevereiro foi um mês muito positivo. Pelo terceiro mês consecutivo que a economia da Zona Euro acelerou. O maior crescimento desde Julho de 2014.

A Markit também salienta que em fevereiro a França saiu da estagnação e registou o maior crescimento da atividade total desde agosto de 2011.

O economista chefe da Markit, Chris Williamson, sublinha, em comunicado, que “o panorama melhorou para todos os países” e adianta que “as preocupações sobre a possível saída da Grécia da zona euro e o contágio a outros países se reduziram”.

Assim, Williamson defende que “a debilidade do euro deveria ajudar a impulsionar as exportações e, talvez o mais importante, o início do programa de compra de dívida do Banco Central Europeu (BCE) deveria estimular a economia à medida que o ano avança”.w

Exportações aceleram

Bom comportamento das exportaçõesem Janeiro.

A recuperação das vendas em Janeiro foi mais notória para os mercados dos demais países da União Europeia (3,3% em termos homólogos; 25,8% em termos mensais), mas observou-se igualmente para o resto do mundo (subida homóloga de 12% e variação mensal de 6,3%), "devido à evolução positiva verificada na quase totalidade dos grupos de produtos, mas em especial nos Veículos e outro material de transporte".