Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O abraço de urso do PS

O PCP andou muito tempo a evitar o abraço de urso do PS mas a táctica de persuasão do PS de António Costa acabou por dar frutos. Agora é o BE que corre atrás do PS depois de ser repetidamente afastado nos últimos meses. E o LIVRE vai pelo mesmo caminho com o líder a abrir-se a uma fusão de toda a esquerda.

É claro que a posição relativa do PS é hoje bem mais forte. O PS não precisa do BE nem do LIVRE bem ao contrário de em 2015. E quando olhamos para as propostas do BE anteriores às eleições sabemos bem que o BE vai ser esmagado. Nacionalizações? Lei Laboral?Investimento público? Aumento da despesa?

É bem verdade que o que está a acontecer em Portugal já aconteceu noutros países embora por cá os dois maiores partidos ainda representem 66% do eleitorado. Há um muro que faz toda a diferença. A União Europeia e a Zona Euro.

É quase patético ver o desespero do BE para se agarrar qual lapa à solução governativa em negociação. Bem me lembro de ouvir Mariana Mortágua gritar em pleno Congresso "camaradas, estamos prontos", prontos para ocupar o poder, bem se vê. Não vai ser agora nem será tão brevemente.  

As dificuldades que o PS já está a ter com o PCP

Francisco Assis chama a atenção para as dificuldades que o PCP já está a levantar para chegar a um entendimento. O PCP andou 40 anos a dizer que o PS queria dar-lhe o "abraço de urso" leia-se abraçá-lo para o matar. Irá vender muito caro esse risco. Os mais duros entre os comunistas estão muito reticentes quanto a este possível acordo. Foi sempre o PCP que recusou qualquer acordo não foi o contrário.

Francisco Assis diz que o processo está longe de estar encerrado, desde logo devido às dificuldades de entendimento que o PS estará a sentir com o PCP - dificuldades que, considera, são normais e impossíveis de superar.

Em sua opinião, deve haver diálogo entre os partidos, mas é na Assembleia da República que, perante um novo governo formado por um primeiro-ministro indigitado pelo Presidente da República, "cada partido deve assumir as suas responsabilidades".

O abraço de urso a três

Nas recentes eleições o BE avançou ; o PCP ficou com amargos de boca ; o PS perdeu .  E a partir de agora o BE quer roubar mais votos ao PS, o PCP quer voltar a ultrapassar o BE e continuar a dividir o PS , e o PS quer recuperar os votos perdidos . E vão todos para o mesmo governo ?

Pouco mais de 12 horas após a reunião do PS com o PCP este decide avançar com um candidato a Belém. O BE irá fazer o mesmo . E há por parte do PS Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém encostados à direita a disputar os votos a Marcelo . E vão estar todos no mesmo governo ?

O que separa PS do BE e do PCP é um oceano principalmente na área económica, mas também em relação à Europa . E vão estar todos no mesmo governo ?

Como se vê os três partidos têm ambições diferentes, todas legítimas, mas que se anulam entre si. Podem estar todos, seriamente, no mesmo governo dando estabilidade politica ao país quando, entre si, existe historicamente uma guerra feroz ?

Seriamente, não podem .