Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Os interesses farmacêuticos chegam facilmente aos jornais

Cada vez mais cortes na saúde, mas o exemplo apresentado é uma completa mentira.:Começámos por saber que se evitava dar medicamentos mais caros, primeiro aos doentes oncológicos ou cardíacos, depois aos das artrites reumatóides. E agora é a hepatite C. Os doentes vão caindo em doenças mais graves (cirroses ou cancros), ou morrendo, enquanto o Estado quer negociar com as farmacêuticas o embaratecimento dos novos medicamentos de eficácia comprovada.

Como já foi devidamente explicado, não só pelo governo, é falso que se neguem medicamentos inovadores aos doentes. O que é preciso é que sejam mesmo inovadores o que, infelizmente, na maior parte das vezes não é o caso. O estado até já negociou com as farmacêuticas uma partilha de custos caso os medicamentos ditos inovadores não provem. Como os médicos alemães reconhecem " pura cobiça". Não há sistema nenhum que suporte o preço que a indústria exige , e muito menos com medicamentos que de forma alguma apresentam eficácia comprovada.

Mas há sempre quem esteja pronto para defender interesses estranhos contra o SNS. Desde comentadores ao bastonário da Ordem dos Médicos todos têm lugar garantido na comunicação social .Estas encomendas jornalísticas são pouco menos que pornográficas.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.