Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Mais um exemplo de descentralização exemplar

Os argumentos para trazer o Instituto do Medicamento Europeu para Lisboa são uma "pescadinha de rabo na boca ". Traz-se o Instituto do Medicamento para Lisboa porque já cá estão o Instituto da Droga e o Infarmed e, estes, estão em Lisboa porque já cá estavam as melhores infraestruturas e acessibilidades. E assim por diante.

O Porto reage mal e com razão porque aceitando este raciocínio Lisboa será cada vez mais a cabeça de um deserto. E, na cidade invicta, há infraestruturas de investigação médica de grande reputação mundial com o I3S e o IPATIMUP onde se encontra a mais avançada investigação como é o caso do cancro da tiróide e do estômago. E há, hospitais que estão na primeira linha do que melhor se faz em várias áreas da medicina.

No entanto, por motivos de “conveniência da proximidade do Infarmed” e também por Lisboa já ter outra agência europeia, Costa acredita que, com as três sedes em Lisboa, seria possível criar uma Escola Europeia. E considera a questão fechada.

Rui Moreira tem-se mostrado contra a decisão de Portugal candidatar Lisboa para acolher a agência que, por causa do Brexit, terá de sair do Reino Unido e encontrar um novo país de acolhimento. E considera mesmo que candidatar novamente Lisboa, que já tem uma agência europeia, é uma fraqueza da candidatura portuguesa. O autarca deu vários exemplos na Europa. Espanha, por exemplo, discutiu o assunto desde julho de 2016, depois do Governo ter aberto a discussão nacional. Barcelona foi a cidade escolhida, num país que já acolhe cinco agências europeias — nenhuma em Madrid. E lembrou que a Escola Europeia, em Espanha, fica em Alicante.

 

2 comentários

Comentar post