Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Havia uma alternativa : as greves contra gente pobre e doente

O governo abriu a caixa de Pandora e agora não consegue segurar os espíritos que de lá saem. Fez crer que nadava em dinheiro, que o país está melhor, que tem folga orçamental. Andou a distribuir dinheiro que não tem pelas clientelas políticas do PCP e do BE e agora tem à perna os sindicatos dos professores (A UGT e a CGTP algo que só se viu no tempo de Maria de Lurdes Rodrigues ) bem como os sindicatos dos médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico .

Num país pobre, com dificuldades, contra gente pobre e doente como diz o ministro da Saúde.

E vão morrendo pessoas idosas e isoladas no interior ( por falta de meios do Estado) e utentes de um hospital central em Lisboa (por falta de meios do Estado - faltam mil milhões de euros no SNS)

Adalberto Campos Fernandes criticou o decretar de greves por tempo indeterminado no setor da saúde “e quando se entende que a greve é algo que se pode usar à custa daqueles que mais precisam apenas e só porque o nosso interesse pessoal tem de falar mais alto que o preço de país pobre e de gente pobre e de gente doente”.

O ministro deu o retrato fiel de uma "solução conjunta" que apenas se interessa em beneficiar quem lhes dá o voto e que trilha um caminho de empobrecimento. Apesar das condições externas positivas em que nos encontramos apenas oito países entre 28 estão atrás de nós e em 2018 só teremos cinco países atrás de nós . Enquanto o governo distribui dinheiro por quem tem emprego seguro o país continua a divergir em relação à média da Europa.

Havia uma alternativa : a da desigualdade às mãos dos comunistas, a da mediocridade económica e a das greves contra gente pobre, velha e doente .