Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

É nos hospitais onde mais se morre

Especialmente nas urgências. E principalmente quando se tem 89 anos. Sempre foi assim e sempre será. E nas alturas do ano em que as condições atmosféricas são mais exigentes. O fluxo anormal de doentes faz o resto.

Ontem, no FB, apanhei a revolta do filho desta senhora que morreu no HGO. A mãe estava com uma mascara de oxigénio por apresentar dificuldades respiratórias. Dá a entender que a medição do oxigénio indicava zero, isto é, não havia mais oxigénio.

O filho e a doente , pelo relato do primeiro, estiveram sempre acompanhados pelo pessoal do hospital. A enfermeira mudava a fralda, o médico falou com o filho, este foi chamado mas não encontrou o gabinete da consulta...

O que é que se pode fazer perante a dor das pessoas que veem um ente querido partir? Mesmo com 89 anos ? Dizer-lhes que se não tivesse morrido nas urgências teria morrido numa enfermaria? E que se assim fosse já não seria notícia ? É que nos hospitais morrem pessoas todos os dias .

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.