Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Diz que é a papaguear mas os juros não param de crescer

Só por cá é que estamos em negação. Dizem-nos que não fazemos as reformas necessárias e que gastamos o dinheiro onde não devemos atiramo-nos ao holandês pequeno dos copos e das gajas. Estamos no "lixo" mas para nós é uma injustiça. Sobem os juros mas a culpa é dos países do norte da Europa.

Quem chame a atenção para os aspectos negativos que são sublinhados pelas entidades Europeias é, no mínimo , um traidor . Mas factos são factos como diz António Costa . E o comportamento das taxas de juro durante um período alargado não deixa dúvidas a ninguém.

custo da divida.png

 

Em média o custo da dívida que foi emitida este ano é de 3,4%, segundo dados divulgados esta quinta-feira pela agência que gere o crédito público, o IGCP. Está acima do custo do "stock" de dívida, que é de 3,2%.

É o valor mais elevado desde 2014, ano em que o custo médio das emissões foi de 3,6%. E é quase um ponto percentual mais elevado que o custo médio de 2016, que se situou em 2,5%. O ano mais barato para o novo financiamento tinha sido 2015, com um custo médio de 2,4%. No mercado secundário, as taxas das obrigações portuguesas têm mostrado uma tendência de subida, principalmente desde o início de Novembro. A taxa a dez anos sobe de 3,318% para 4,195% nesse período.

Quem é que acredita na narrativa oficial ?

1 comentário

Comentar post