Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

DEVO TER-ME ENGANADO - Prof Raul Iturra

 

 

 

Em texto escrito ontem para o blogue Banda Larga, declarava ser socialista, mas que não entendia este desencontro na liderança do partido. Após ler as declarações do deputado Eduardo Ferro Rodrigues a as dos históricos do PS de Portugal, tenho ficado com a impressão de ter transferido a minha experiência de Allende no Chile, obrigado a se suicidar para evitar uma guerra civil.

 

Mas, as matemáticas são certas. Ganhamos um deputado, esse 0.4% de vantagem sobre a coligação que nos governa. Costa e Ferro Rodrigues, como Lacan e outros, advertem que as legislativas são para ser ganhas por sobre a percentagem da coligação unida, ter uma base política, económica e social fortes, para poder não apenas sós, mas saldar as contas em que o governo de hoje nos fez entrar e que não sabemos como pagar. Dos nossos bolsos de certeza, mas já é assim e precisamos de um plano alternativo para sair do endividamento nacional.

 

Sou socialista e com honra. Acredito nos históricos do PS que souberam governar o país sem entrar em grandes gastos. Se Maria João Rodrigues está em Bruxelas e outas como ela, o discurso de um triunfo que nunca foi certo, é um grande engano. A juventude tem a força, os mais maduros a sapiência e a refundação do país, como Mário Soares que, para mim, é o pai refundidor da Nação e se fala de vitória à Pirro, é porque sabe o que diz. Os que apoiam o atual Secretário-geral do PS ainda bebem a bebedeira do 0.4%. Foi esse tipo de enganos que derrubou o governo legal de Allende e causara tortura e exílio.

 

Precisamos de uma base sólida político-social para remontar esse 0.4% e o Secretário-geral do PS devia ouvir os que sabem e convocar congresso e eleições. A juventude não ganha as batalhas, a calma e os números, essas sim. Confio profundamente no Eduardo Ferro, e, mais ainda, no Augusto Santos Silva que analisa antes de falar. Tem integrado júris ao meu convite, apesar da raridade do seu tempo, por ser eu a convidar. Se tem essa confiança en mim, eu tenho a mesma em ele.

 

Apenas peço a Ferro Rodrigues uma atividade útil para o nosso partido, como português que sou, e que responda os meus apelos de confiança em ele.

 

Não se pode cantar o quarto movimento da Nona de Beethoven: Amigos, mudemos de tom e sejamos alegres-dits niecche töne, para salvar uns pais que se afunda pela escola de Áustria do neoliberalismo ou a caridade dos cristãos, que vivem de birras.

 

Estou certo de ser ouvido e ser chamado a desempenhar o meu comeido no nosso PS luso, como fiz com o do heríos Salvador Allende, que muita falta me-nós faz.

 

De certeza, este sábado vamos ter congresso e eleição. Confio profundamente na sensibilidade e vom senso de António José, que bem antende que não ganhamos e que ama o partido e a nação, como tantos de nós a queremos

 

Gogresso e voto, já, devia ser o nosso lema e não as renuncias por desespero dos dois da comissão nacional que sairam sem pensar com calma antes, mas que, de certeza, vão voltar, bem como o Secretário-geral vai enrar no seu saber e apresentará uma alternativa.

 

Obrigado Fefé pela tua iniciativa

 

Abraço

 

Raúl Iturra

 

29 de Maio de 2014.

 

Antigo Presidente Regional do MAPU-UP, que apoiava Allende.

 

Funador de cristãos para o socialismo no Chile e na Galiza.

 

Socialista

 

Catedrético de Etnopsicologia da Infância no ISCE-IUL e

 

Senador da U da Cambridge-Professeur Invitée du Collége de France, Paris.

 

lautaro@necabo.pt

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post