Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Depois de Costa agora Rio

Temos sido governados por uma geração de líderes políticos “boys partidários”, sem experiência nem currículo profissional que lhes permitam governar os destinos do país. Longe já vão os tempos em que tínhamos como líderes dos principais Partidos Mário Soares, Sá Carneiro, Álvaro Cunhal ou Freitas do Amaral, que tinham carreiras profissionais feitas e vieram para a política para servir o país e não para se servir dele.

 

Esta geração de políticos colocou o país próximo da falência e transformou um estado que tinha os seus recursos ao serviço da população (autarquias, serviços de luz, água, etc.), progressivamente num estado ao serviço de interesses de grupos económicos, de interesses particulares e indiretamente dos próprios políticos e minado pela corrupção, veja-se as PPPs, BPN e BES, autarquias, EDP, PT... Temos agora esse cenário futuro de 2050, de um país com seis milhões de habitantes, sem futuro e que não fará jus aos nossos oito séculos de História.

 

Com uma atividade de advogado e provas dadas na Câmara de Lisboa, António Costa sucedeu a um líder de que não se conhecem outras atividades para além das juventudes partidárias e da política. As suas ideias e propostas políticas são de experiência feita, mas que a tradição do partido no investimento no Estado Social, seja ao serviço do crescimento económico e não coloque em causa a estabilidade das contas públicas.

 

Também Rui Rio, com uma carreira profissional impar e uma excelente passagem pela Câmara do Porto onde pós em ordem as finanças da autarquia, pode suceder a um líder que também passou pelas juventudes partidárias com fugazes atividades profissionais, e que para além da determinação, não fez a maioria das reformas que o país precisava. Se Rui Rio avançar para a candidatura a PR antes das legislativas arrisca-se, na sequência de uma derrota do PSD, à demissão de Passos Coelho e que o novo líder aposte em Marcelo para PR. Para além disso, Rio pode ser mais útil ao país como Primeiro-ministro do que PR, o currículo dele fala por si.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.