Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Centeno queixa-se dos juros altos

Há quem queira convencer-nos que as taxas de juro que pagamos estão a um nível razoável mas, a verdade é que não estão. Basta ver o que pagávamos há um ano e fazer a comparação com a trajectória das mesmas taxas com outros países. Com Espanha por exemplo.

ministro das finanças queixa-se da (suposta) injustiça face à situação ( que não existe segundo alguns) . Ora as razões são conhecidas :este governo não faz as reformas necessárias porque os seus apoios parlamentares não deixam .

Os funcionários públicos recuperaram rendimento, mas a classe média continua à espera do fim da sobretaxa. O emprego aumentou ao mesmo tempo que aumentou a precariedade e diminuiu o salário médio. O investimento, público e privado, continua mais ou menos parado. Os juros da dívida aumentaram e levam-nos mais ou menos 5% de tudo o que produzimos anualmente no país. Amortizar dívida continua a ser uma miragem.

“Acho que não estamos a ser tratados de forma justa. A maior parte do nosso orçamento foi gasto no pagamento de juros, mais do que em qualquer outro país da Europa”, afirmou Centeno. “É importante que as agências de rating percebam que o Portugal de hoje é diferente do Portugal de 2012.” -
Oxalá que isto mude para melhor mas esta situação mostra bem que a narrativa do governo não é aceite no exterior por quem nos empresta o dinheiro.

 

2 comentários

Comentar post