Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

As diferenças fundamentais entre o Liberalismo e o Socialismo

O ministro Pedro Nuno Santos já pôs as pernas dos alemães a tremer por causa da dívida agora põe as pernas dos portugueses a tremer por causa da liberdade de escolha.

Objectivamente, a visão de liberdade de Pedro Nuno Santos não difere daquela que diz ser a de João Cotrim de Figueiredo e da IL. O que o ministro expressa é uma mera possibilidade de escolha. A diferença está em quem faz a escolha. Para o deputado da IL deve ser o cidadão, para o ministro deve ser o Estado.

Ao afirmar que deve ser o Estado, e não o cidadão, a escolher, Pedro Nuno Santos está efectivamente a impedir que o indivíduo seja verdadeiramente livre, pois não permite que este assuma as suas responsabilidades. Ora, esta posição traduz uma inversão aos pressupostos da democracia representativa. Deve ser o cidadão a controlar o Estado (e os seus representantes) e não o Estado a controlar os cidadãos.

Esta é uma das diferenças fundamentais entre o socialismo e o liberalismo. Enquanto o liberalismo questiona o Estado e os seus representantes, o socialismo não confia nos cidadãos e jamais lhes dará a responsabilidade da liberdade. O ministro Pedro Nuno Santos não quer que as escolhas dos cidadãos possam beneficiar agentes privados (principalmente estes) ou públicos. Prefere privá-los da liberdade, escolhendo por eles, e favorecer selectivamente e arbitrariamente alguns (quiçá) “camaradas”.