Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

A Segurança Social é o saco azul de António Costa

Ninguém diz nada, mas António Costa está a fazer mão baixa na Segurança Social. Ajuda empresas e a reabilitação urbana com o dinheiro das pensões. Os sindicatos não piam.

quando a Segurança Social é descapitalizada

1400 milhões da Segurança Social para recuperar património

Governo põe Segurança Social a pagar parte de apoios a empresas

A Segurança Social está a funcionar como um saco azul. O silêncio que rodeia esta aventura criminosa é sintomático de um país capturado pelas suas corporações

Um investimento com retorno a muito longo prazo vai abrir mais um buraco na Segurança Social a acrescentar ao buraco de 600 milhões que já lá está. É por isto que o governo não está interessado em discutir a proposta de reforma da SS apresentada pela oposição. Quer mão livre, quando os problemas se agudizarem aparecerá então a aclamar por consensos...

Se isto desse certo eu votaria no PCP e no BE

Passos Coelho, na SIC : “Se pudéssemos, sem dinheiro, devolver salários e pensões e no fim as contas batessem todas certas, passaria a defender o voto no Partido Socialista, no Bloco de Esquerda e no Partido Comunista.” Nem mais.

O PS sobe impostos indirectos sobre todos para aumentar salários e pensões de alguns, os que votam na esquerda. E agora vai buscar 1 400 milhões de euros ao Fundo da Segurança Social onde já faltam 600 milhões segundo o PSD. E vai pagar tudo isto com o crescimento da economia que começou com uma previsão de 2,1% e já vai nos 1,8% ( embora o intervalo mais provável ande entre os 1,4% e os 1,6% ).

Vem aí um aumento do IVA e a seguir outro resgate salvo se António Costa, contra todas as previsões, consiga driblar a realidade .

Entretanto as denúncias de Jerónimo, Catarina, Arménio e outros desapareceram, bem como as greves dos transportes públicos. Não há mais pobres nem trabalho precário nem desempregados.

 

Governo obediente e agradecido

O ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, substitui anteriores equipas a exigência do BE .

A direção cessante tem sido alvo de contestação por parte do Bloco de Esquerda (um dos partidos que garante maioria parlamentar ao Governo) precisamente devido aos recibos verdes. O deputado José Soeiro entregou, anteontem, uma pergunta dirigida a Vieira da Silva, denunciando o recurso a falsos recibos verdes no concurso que a direção do IEFP lançou para docentes e formadores na rede de centros de emprego e formação profissional.

O PS vai engolindo sapos a ver se o orçamento para 2016 passa. Desde que as exigências não façam mais despesa ainda a coisa vai ...

Governo obediente e agradecido

O ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, substitui anteriores equipas a exigência do BE .

A direção cessante tem sido alvo de contestação por parte do Bloco de Esquerda (um dos partidos que garante maioria parlamentar ao Governo) precisamente devido aos recibos verdes. O deputado José Soeiro entregou, anteontem, uma pergunta dirigida a Vieira da Silva, denunciando o recurso a falsos recibos verdes no concurso que a direção do IEFP lançou para docentes e formadores na rede de centros de emprego e formação profissional.

O PS vai engolindo sapos a ver se o orçamento para 2016 passa. Desde que as exigências não façam mais despesa ainda a coisa vai ...

Quando a descida do desemprego já não é notícia

O desemprego de Agosto do ano passado a Agosto deste ano desceu 14% o equivalente a cerca de 88 000 pessoas. E desceu em vários sectores económicos e em várias regiões do país. Mas este facto da maior importância passa na campanha como cão em vinha vindimada. O que não deixa de ser uma óptima notícia. Afinal já toda a gente interiorizou que o desemprego está mesmo a descer, já não é noticia.

E é também por  haver mais emprego e por isso mais receita e menos subsídios na Segurança Social que as contas estão equilibradas e este ano positivas. Seria bom que deixassem o dinheiro da Segurança Social em paz.

Desequilibrar o que está equilibrado é uma aventura, principalmente quando é para voltar às politicas que nos levaram à pré-bancarrota. Leve agora e pague depois .

O IEFP, porém, especifica que a diminuição do número de inscritos nos centros de emprego foi generalizada nos sectores da economia: primário (5,5%), secundário (20,2%) e terciário (13,2%).

De forma ainda mais pormenorizada, adianta-se que “as descidas percentuais mais acentuadas verificaram-se na ‘fabricação de outros produtos minerais não metálicos’ (24,8%), ‘construção’ (32,2%) ‘transportes e armazenagem’ (23,1%) e ‘fabrico de equipamento informático, eléctrico, máquinas e equipamento (22,6%)”. Na indústria, portanto .

António Costa não tem informação fina

Com a entrevista de Vitor Gonçalves já tinha ficado à vista desarmada que António Costa não percebe nada do que está escrito no seu programa que outros fizeram para ele. Catarina Martins também já lhe tinha dado umas pantufadas.

Passos Coelho percebeu ainda o que já era óbvio depois da entrevista com Vítor Gonçalves e do debate com Catarina Martins: António Costa passa a vida a dizer que tem compromissos escritos no programa, mas não percebe nada do que lá está. A Vítor Gonçalves nada respondeu, tendo tido a atitude ridícula de lhe entregar um resumo do programa e a Catarina Martins limitou-se a repetir as acusações ao corte de pensões da direita, sendo incapaz de explicar os números que constavam do seu programa.

 

Hoje António Costa foi igualmente incapaz de dar explicações sobre o seu programa, dizendo apenas generalidades ou acusando o adversário. Até numa pergunta simples sobre o modelo de escalões que defende para o IRS nada disse, alegando que lhe faltava "informação fina". O quadro de receita fiscal constante do orçamento e os dados da sua execução são por acaso "informação grossa"?

António Costa não percebe um boi de Segurança Social

Alguém diga a António Costa que não se corta nas pensões mais baixas, as dos mais pobres.

 

 

 

 

 

Costa_redes_sociais_17092015

 

PS: Depois da leitura deste post publicado no FB, e ouvida a intervenção que fez hoje nas rádios, fica bem claro que Costa não percebe um boi do que se fala quando se discute Segurança Social. O modo como separa o regime contributo do não contributivo, e como se refere aos números e à forma do seu financiamento, exibem à saciedade que não compreende que quer o regime contributivo, quer o não contributivo, vão “beber” em termos de receita às mesmas fontes.

 

Costa retira dinheiro e confiança à Segurança Social

Não se sabe bem porque carga de água o PS se atirou como gato a bofe ao dinheiro da Segurança Social. Está a dar dores de cabeça a Costa como é mais que evidente. É verdade que não há muito por onde buscar dinheiro mas esta de, com uma mão, congelar a despesa com pensões e, com a outra, retirar milhões à receita dá que pensar.

Hoje, Costa meteu as mãos pelos pés com uma pergunta simples de uma jornalista. Explique lá isso dos mil milhões ? Costa não sabia . Como não sabe se daqui a uns anos a economia cresce o suficiente para repor o dinheiro que lá quer ir tirar . Leve agora pague depois.

As trapalhadas do PS na Segurança Social dão o mote para o resto do programa socialista . Não dão confiança nenhuma . Quem é que vai trocar o caminho actual que está a dar resultados por promessas mal explicadas ? E Holland, Enzo Rizi e o Syriza não chegam como exemplos de falhanços ? 

Costa está tão incomodado que já utilizou o facebook para tentar reduzir o prejuízo. E a explicação é patética. É pouco, é só 4%, não sei explicar mas o prejuízo não é muito .

No entanto, o líder socialista continua sem explicar em que prestação social vai incluir ou apertar a condição de recursos (regras mais apertadas para acesso às prestações com base nos rendimentos). Uma tarefa que não é fácil uma vez que as prestações mais pesadas já a têm (Rendimento Social de Inserção e Complemento Solidário para Idosos) e nestes casos, Costa quer aliás aliviar a condição de recursos. Sobra-lhe as pensões mínimas, que não têm condição de recursos.

Tanto entrou na capoeira que ficou lá preso . Ia acontecer mais tarde ou mais cedo.

As contas do PS para a Segurança Social estão erradas

É Francisco Louçã quem o diz. A palavra dada tem que ser honrada e mostra que sim, que tem. António Costa é que anda um bocado, para não dizer muito, baralhado.

"O gráfico ao lado, sempre com as contas do próprio PS, apresenta os efeitos de duas medidas, comparando os valores: o que a segurança social deixa de receber porque é reduzida a TSU paga pelos patrões (2550 milhões) e o que a segurança social deixa de pagar com o congelamento das pensões (1660 milhões).

As pensões são “sagradas”. Mas o PS anuncia-nos que as vai reduzir em 1660 milhões de euros durante o mandato, ou seja, tirar um mês a cada um destes pensionistas. E que entrega aos patrões 2550 milhões de euros da segurança social.

A “palavra dada tem que ser honrada”. Pois tem."

PS-ss.png

 

O PS quer arrombar o mealheiro da Segurança Social

Pela primeira vez há muitos anos que a Segurança Social apresenta saldos positivos . O PS já não descansa enquanto não lhe deita a mão.

Segundo o novo estudo, trata-se de "uma evolução que é favorável à concretização do objectivo de um saldo orçamental positivo no final do ano". Ou seja, se tudo correr como até aqui, a Segurança Social não vai atrapalhar a meta do défice de 2,7% do PIB prevista para este ano.

Sem a tal transferência especial do OE, o orçamento da Segurança Social para este ano como um todo "aponta para um saldo positivo de dois milhões de euros".

Ainda segundo o fiscal do Orçamento, "a melhoria da conjuntura económica, que se reflectiu na redução do número de desempregados e no aumento do emprego no primeiro semestre do ano, contribuiu para a redução do desequilíbrio financeiro do Sistema Previdencial".

António Costa anda desesperado para deitar a mão a este dinheiro . Para fazer obra pública, pois então.