Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Um par de jarras

Com a cada vez mais provável maioria absoluta do PS nas legislativas o PCP e o BE - que não crescem nas sondagens - correm o risco de perderem condições para fazerem parte de um qualquer acordo governamental.

Os portugueses já perceberam que com a sua atitude anti-Zona Euro e anti-União Europeia, os partidos da extrema esquerda são um travão às reformas estruturais necessárias a um melhor comportamento da economia . E sem mais e melhor economia não pagamos a dívida, por mais que aqueles dois partidos redijam relatórios para resolver a dívida e que são rapidamente esquecidos numa qualquer gaveta de António Costa.

A forma quase prepotente como os relatórios das esquerdas sobre a negociação da dívida são ignorados, mostra bem que embora o PCP e o BE se considerem ainda factores de pressão, há muito que o que fazem mais é engolir sapos vivos.

Catarina Martins já anda por aí a dizer que não tem jeito para jarra e Jerónimo de Sousa já coloca o PS na direita . Depois da lua de mel com as reversões os problemas de fundo que é preciso enfrentar ameaçam a coesão entre PS, PCP e BE . E o PS não tem jeito para dar a outra face mudando no que é essencial - a Zona Euro e a União Europeia .

Há quem faça contas e chegue à conclusão que pagar a dívida exige um crescimento de 7% - 4% para juros e 3% para a sustentabilidade do sistema. Ora só medidas tomadas a nível europeu é que poderão facilitar tal objectivo.

E isso é possível com dois partidos que todos os dias exigem sair da Zona Euro ? O PS caminha para a quadratura do círculo.

 

Maioria absoluta para Macron

Na segunda (terceira) volta das presidenciais franceses o presidente eleito tem muitas probabilidades de obter uma maioria absoluta e assim abrir caminho a um apoio parlamentar maioritário ao seu programa liberal social e pró-europeu.

Já por aí havia muito quem desejasse ardentemente que a extrema direita viesse a ser a maior força parlamentar . Vão ter que esperar apesar de sabermos que não só era o que desejavam como o seu pensamento político, no essencial, é o mesmo.

Nunca tanta gente viveu com a qualidade de vida que a União Europeia propriciou durante tanto tempo . Teve uma crise ? Nunca ninguém disse que se trata de um sistema perfeito mas os cidadãos não estão para deitar fora o menino com a água do banho. Basta olhar em volta e ver quem embala o berço dos mais miseráveis. Dos que não têm Serviço Nacional de Saúde, nem Educação, nem Segurança na Velhice e na infância. E, enquanto assim for, bem podem as carpideiras de serviço prometer os melhores dos mundos.

Em segundo lugar surgem Os Republicanos (direita), com 19%, seguidos da Frente Nacional (extrema-direita), com 18%, da França Insubmissa (Esquerda), 15%, e do Partido Socialista, 7%.

Sondagem - é melhor uma maioria absoluta do que a geringonça

O PS está a crescer nas sondagens enquanto PCP e BE não ganham nada em termos de intenções de voto por estarem no governo.

Os dois partidos extremistas sempre sublinharam que não estão no governo mas o povo não vai na conversa. Mantêm as suas intenções estratégicas. O comunismo e saírem do Euro e da União Europeia.

Os dois partidos são um travão na confiança e na credibilidade do governo junto das entidades europeias e dos credores. Não é impunemente que lançam programas para sair do euro( PCP) e o que se passa na Grécia (Syriza) e em Espanha com o PODEMOS faz o resto.(BE) . Todos com o mesmo objectivo. Sair do Euro e da União Europeia. Ora, a verdade é que 70% dos europeus querem manter-se na UE . Por cá também .

sondagemmarço.jpg

 

PS não precisa do PCP e do BE

É uma boa notícia esta sondagem que dá o PS a subir nas intenções de voto, mantendo-se o PCP e o BE nos valores habituais sem crescerem. Dois partidos antiEuropeus fora do governo ajudam às conversações em Bruxelas e facilitam o investimento estrangeiro . E a taxa de juro a dez anos reduziria para valores mais próximos das de Espanha .

Durante a campanha para as legislativas Passos Coelho chegou a dizer que era preferível uma maioria absoluta mesmo que fosse do PS. Não  há dúvidas para quem é pró União Europeia e Zona Euro.

psabsoluta.jpg

 

Sondagem - um PCP de usar e deitar fora

As sondagens estão a orientar-se para um cenário que o PCP habitualmente tão cuidadoso não previu. Ajudar à sua própria exclusão. Isto terá consequências políticas profundas. Porque a tendência que se desenha é que PS+BE façam maioria à esquerda e PSD+CDS façam maioria à direita. Isto é, o país voltaria às maiorias absolutas à esquerda e à direita com um PCP reduzido à sua vertente sindical.

Não podemos esquecer que o PCP é o único partido comunista marxista-Leninistas que na Europa mantém uma influência política que os partidos irmãos há muito perderam . A tendência seria a perda de influência até à sua extinção. O PCP vai reagir não é da sua natureza deixar-se imolar.

António Costa não hesitará em deixar cair o PCP em eleições legislativas juntando-se ao BE se a maioria absoluta estiver ao seu alcance

s-05-08-2016.jpg

 

Maior sondagem : 41% para a Coligação, 29% para o PS

A sondagem com maior amostragem e a cobrir o maior espaço temporal. Portugal à frente arrasa o PS

A coligação Portugal à Frente poderá estar perto da maioria absoluta. De acordo com o barómetro político da Marktest, realizado nos dias 22, 23 e 29 de Setembro e que a empresa qualifica como a "maior sondagem das legislativas", a candidatura que junta Passos Coelho e Paulo Portas recolhe 41% dos votos. O PS fica-se pelos 28,6% dos votos, ao passo que a CDU recolhe 9,3% dos votos e o Bloco de Esquerda alcança 8,7%.

A maioria absoluta está ao alcance da Coligação . O país precisa de um governo estável na União Europeia, no Euro e a cumprir o Tratado Orçamental. Única forma de Portugal atingir o nível de vida e a justiça social que é comum nos países europeus.

Chega de aventureirismos.

 

Sondagem RTP - maioria absoluta para a Coligação

Pela pimeira vez a sondagen RTP dá apossibilidade de a Coligação alcançar a maioria absoluta. A tendência é de a vantagem entre a Coligação e o PS se alargar o que acontece desde o primeiro dia

sondagemrtp1.jpg

 A subida registada pela coligação Portugal à Frente manifesta-se também na intenção direta de voto expressa pelos inquiridos, com um aumento de dois pontos em relação à sondagem anterior. Já o Partido Socialista mantem o mesmo valor, de 17 por cento. 

sond%.jpg

 

 

 

 

Sondagem RTP - quanto falta para a maioria absoluta ?

Passo (s) a Passo(s) a Coligação vai-se aproximando da maioria absoluta . Faltam oito dias . Hoje chegaram-nos uma série de boas notícias sobre a execução orçamental que mostram bem que o país está a crescer. Mais receita no IVA ( recorde absoluto - mais consumo ) mais investimento ( 40%- mais emprego), mais IRC ( lucros das empresas ) .

sondagemmaioria.jpg

 Outro dado a sobressair nesta oitava sondagem é o crescimento da coligação Portugal à Frente no capítulo da intenção direta de voto. A aliança entre as formações de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas passa, neste plano, de 30 para 33 por cento, ao passo que o PS estagna nos 17 por cento.

intenção de voto.jpg