Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Sondagem para as legislativas - maioria pode voltar a formar governo

É claro que os partidos têm as suas próprias sondagens e sabem muito bem o que o país pensa. E pensa assim. Isso não os inibe de pressionarem o Presidente da República para decretar eleições antecipadas. E de apresentarem moções de censura. Num universo de 4004 entrevistas telefónicas, o PS obteve um resultado de 29,1% das intenções de voto, muito perto dos 28,7% alcançados pelo PSD. Como o CDS vale, nesta sondagem, 2,4%, pode concluir-se que os dois partidos da actual maioria voltariam a valer mais que o PS, podendo teoricamente voltar a formar governo. E como esta sondagem foi feita antes das europeias podemos agora vir a ter Marinho Pinto como o fiel da balança.

Três pontos de diferença valem umas eleições legislativas ?

Todos, mas todos, os dirigentes partidários perdem a noção do interesse nacional quando está em jogo o interesse partidário. É, bem vistas as coisas o que se chama "ver curto". Cega-os o exercício do poder e as prebendas. Um dia depois de umas eleições europeias em que 62% dos votantes se abstiveram de o fazer e o partido vencedor alcançou 32% dos votos e sem qualquer cenário provável de coligação à vista, Ferro Rodrigues e outros reclamam do alto da sua "partidarite aguda" que o presidente da república seja tão irresponsável quanto eles. A um ano das eleições legislativas e com a economia a crescer, os juros a descer, as exportações a portarem-se bem e o investimento a voltar percebe-se bem o que os move. Mas deviam entender que, mesmo com razões fortes,( que não há) meter o país num período eleitoral perdendo tudo o que se ganhou e o que ainda se pode vir a ganhar é um crime. Que se entende no PCP mas não no PS!

Palavra? Uma nova relação de confiança ?

Para quem está na oposição num momento tão difícil, a leitura dos votos a nível nacional não pode ser mais fraquinha. Diz Seguro que "há uma nova relação de confiança entre os eleitores e o PS". Em termos autárquicos não há dúvida nenhuma que o PS nos próximos doze anos vai dominar a política local, mas em termos nacionais está muito longe disso.

PSD + CDS estão praticamente empatados em número de votos com o PS. E o PS não tem com quem coligar-se. Talvez com o provável novo partido que os independentes venham a criar. Seria uma boa solução para o afunilamento que a vida partidária está a cavar com as suas próprias mãos.

O que vai influenciar decididamente, as eleições legislativas em 2015, vai ser o resultado das políticas que este governo está a aplicar. Se lá chegarmos com o país a crescer, o desemprego a descer e os juros da dívida a permitirem pagar aos credores, o PS estará muito longe da vitória.

E se essa situação é boa para o país também é boa para mim. É por isso que desejo que este governo tenha êxito!