Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O resultado de 30 anos de PT marxista-leninista no Brasil

Após 30 anos de poder o PT marxista-leninista deixa como herança o país afogado na maior convulsão social e na maior recessão na economia. 

O PT pode até conquistar o poder pelo voto popular. Mas, uma vez no controle do Estado, sua genética marxista-leninista o impele a dominar todo o corpo social. O seu apetite revolucionário rapidamente vira a sociedade de ponta-cabeça. Os governos petistas passam então a tentar tutelar a economia, a aparelhar a imprensa, a universidade, as organizações não governamentais e tudo o mais que possa servir seu projeto de poder total.

Lula e Bolsonaro têm projectos anti-democráticos

Escreve quem sabe : 

Ambos, Lula e Bolsonaro, têm sinistros projetos antidemocráticos. Para isso, cada qual à sua maneira, fazem uma campanha sistemática de desmoralização do Judiciário, da imprensa e, agora, das eleições, cujo primeiro turno ocorrerá hoje. Para os petistas, até há pouco, "eleição sem Lula" era "fraude". Mas, como seu candidato-fantoche, Fernando Haddad tem grandes chances de se eleger, a frase foi provisoriamente arquivada. E Bolsonaro, que já lançou suspeitas sobre as urnas eletrónicas (as mesmas em que ele e seus filhos vivem se elegendo há anos), declarou que não aceitará como legítimo outro resultado que não sua vitória.

Com a volta do PT ao poder, nossa meta será nos tornarmos uma grande Venezuela. Com Bolsonaro, nosso destino é o século XIII.

Para um europeu é difícil perceber o que é ser pobre no Brasil

Francisco Assis :  Muitas vezes é difícil percebermos o que isso significa a partir de uma perspectiva europeia. Mas quem viajou dezenas de vezes para a América Latina, como eu fiz nos últimos anos, sabe bem o que isso traduz naquele sacrificado continente. Ali, ser pobre corresponde a ser muito mais pobre do que no nosso velho continente europeu; ali, ser mulher, ser homossexual, ser indígena, ser desempregado, ser mãe solteira, comporta uma carga sem correspondência com o que se passa no mundo que nós próprios habitamos.

E o povo burro brasileiro já era burro quando votou PT ?

Segundo alguns espíritos avisados, os 46% de brasileiros que votaram em Bolsonaro são racistas, machistas, homofóbicos, etc., enfim, gente deplorável e sem desculpa. Admitamos que sim. Resta uma pergunta: esta gente já era assim quando Lula e Dilma foram eleitos, ou tornou-se assim durante a longa governação do PT? Seja qual for a resposta, é um sinal de que as políticas “inclusivas” de esquerda não funcionaram ou, pior ainda, foram contraproducentes.

 
 
 
 

 
 
 

Por onde a extrema esquerda passa deixa a extrema direita no poder

O que se passa no Brasil é bem mais complexo do que chamar ao povo, ignorante. O povo escolheu entre a corrupção do PT e a segurança do Bolsonaro . Por muito que custe à esquerda foi isto que aconteceu.

Dizem-me que o povo podia ter votado nos candidatos da direita e da esquerda moderada. Podia, mas foi a extrema esquerda que dizia e diz, que não há direita moderada. Para ser direita só sendo extrema.

Na União Europeia o discurso é o mesmo. Com todos os nossos problemas, a verdade é que somos sociedades prósperas e pacíficas, temos instituições resistentes e boas democracias. Quem a não ser nós ? Mas isso não impede que a extrema esquerda e a extrema direita tenham o mesmo objectivo. Derrubar a União Europeia.

E apesar das ameaças a extrema direita na UE continua a ser muito minoritária e alimenta-se da demagogia da esquerda sobre a imigração. É claro que os europeus temem uma imigração sem controlo e sem limites . Letónia e Lituânia perderam pelo menos 30% da sua população desde a entrada na UE. Na Polónia cerca de um milhão vive hoje no Reino Unido. A Bulgária perdeu mais de 20% da população. A Roménia perdeu 3 milhões de pessoas. A Hungria um milhão . Todas vivem hoje na Suécia, no Reino Unido, na Alemanha , França e Áustria.

E a tudo isto há que acrescentar os miseráveis que atravessam o Mediterrâneo. 

Mas a extrema esquerda quer-nos fazer crer que os povos fogem dos paraísos para virem para o inferno europeu.

 

No Brasil falta uma proposta política moderada ao centro

Ouvido por um jornalista da RTP um brasileiro dizia " queremos uma proposta política como existe em Portugal e na Alemanha" . Assim mesmo . Pouco conhecedor do que se passa na União Europeia, o nosso irmão brasileiro quer é uma proposta de paz, progresso, justiça e liberdade . Tudo o que não tem e que é atacado pelos extremismos aqui e lá no Brasil.

Há umas semanas atrás o ex-presidente do Urugaio, José Mujica, dizia mais ou menos o mesmo : quem me dera ter na América do Sul a União Europeia " . A mesma UE que a extrema esquerda e a extrema direita querem destruir.

Para o eurodeputado do PSD, outro dos problemas foi a falta de uma “alternativa moderada central”. “As pessoas de uma ala mais moderada não souberam encontrar uma resposta. Agora estão neste dilema e correm o risco de que um candidato com um programa extremamente preocupante, que é Bolsonaro, ganhe as eleições. E há uma probabilidade muito alta de isso acontecer”, defende Paulo Rangel.

Mas não é apenas o candidato do Partido Social Liberal (PSL) que preocupa Paulo Rangel. A reputação do Partido Trabalhista (PT), representado nestas eleições por Fernando Haddad - escolhido para substituir Lula da Silva, depois do antigo presidente ter sido preso por corrupção -, também merece atenção. “O PT está intrinsecamente ligado a uma rede de corrupção que envolveu os nomes mais relevantes do partido”, lembra.

 

O povo mais uma vez está errado

Estive no Brasil e o que por lá ouvi prenunciava este resultado mas o que se pensa por cá é que o povo mais uma vez está errado. Não aprendemos e andamos gloriosamente a dar lições ao mundo.

Patricia Reis ·

Qual a diferença entre a eleição de Trump e a putativa eleição de Bolsonaro no dia 28? Nos eua, mal ou bem, ainda há formas de fiscalização. No Brasil, não existe nada de similar. É triste assistir a este retrocesso. E daqui saudo o Nordeste que permite uma segunda volta, pensei que o Rio não seria uma desilusão, mas foi. Milhões de pessoas votaram num fascista e muitas a pretexto de não quererem votar no PT. É incompreensível? As pessoas são o que são. No limite, muito piores do que a nossa imaginação consegue antever.

"O capitão da extrema-direita saltou das filas de trás do Congresso para favorito a Presidente. Com 46%, levou aos colo políticos até de outros partidos a posições de topo. Pelo caminho destroçou o PT."

Este é o lead (é assim que se chama?) de uma notícia sobre as eleições no Brasil.
Seria bom notar que a última frase não só está totalmente errada, como é uma boa demonstração das razões para os resultados serem o que são: não foi Bolsonaro que teve 46% dos votos e de caminho destroçou o PT, foi o PT que se destroçou, por opção própria dos seus dirigentes e militantes e, de caminho, levaram Bolsonaro aos 46%.
Seria útil que a esquerda mainstream, estatista e sectária, que hoje é dominante começasse a assumir as suas responsabilidades.

 

Não se esqueçam de matar a galinha dos ovos de ouro

turismo.jpg

Além dos tradicionais,  Reino Unido, Espanha, Alemanha e França, estão a chegar os Estados Unidos, Canadá e Brasil . Já não são só o sol e a praia que atraiem os turistas .

Do outro lado da moeda, estão três países que enviam para Portugal cada vez mais turistas: EUA, Canadá e Brasil. Até julho, cerca de 454 mil norte-americanos ficaram na hotelaria em Portugal, um crescimento superior a 84 mil pessoas em comparação com o mesmo período do ano passado. Sendo que, até julho deste ano, usufruíram da hotelaria mais americanos do que nos 12 meses do ano de 2013, de 2014 e de 2015. Do Brasil chegaram 553 mil hóspedes, mais de 57 mil que até julho de 2017. E do Canadá 148 mil, uma subida de mais de 23 mil pessoas. Os dados do Turismo de Portugal mostram que a TAP é a principal companhia aérea a fazer a ligação entre o Brasil e EUA e Portugal.

 

 

Boaventura para quem foge de uma miséria procurando outra

União Europeia já enviou 70 milhões de euros em ajuda ao Brasil para integração dos milhares de venezuelanos que fogem da miséria . É assim, ajuda quem pode recebe quem precisa. 

A cegueira ideológica é que não ajuda ninguem, bem pelo contrário, ajuda a que a miséria do povo seja vista como sendo um castigo a que os pobres não podem fugir. Pois se a miséria não resulta das decisões de quem as toma estando no poder no país...

É por isso que se prepara, esta quinta-feira, para perguntar a Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para Política Externa e Segurança, se a Comissão Europeia está “em condições de avançar com um novo pacote de ajuda financeira aos países vizinhos da Venezuela”.

“Muitos destes refugiados têm formação e até tinham trabalho na Venezuela, mas o dinheiro já não lhes servia de nada. Já não conseguiam comprar comida nem medicamentos. Contaram-me que só tinha acesso a um número mínimo desses bens quem tivesse ligação ao regime de Maduro. Havia alguns que estavam a fugir porque sofriam de perseguição política, mas eram poucos: a maior parte dos refugiados estava ali para fugir da miséria”, recorda ele.

O partido brasileiro da Dilma dos pobres encolheu 60%

É, claro, que foi golpe das elites contra a presidente do partido dos pobres. Só que as eleições vieram baralhar tudo. Adivinhem quem o povo escolheu em eleições ? Brasileiro é mesmo burro, né ?

"Sobretudo por isso, aguardei com certa expectativa e sede de justiça as eleições municipais de domingo, que inevitavelmente traduziriam a revolta do povo perante tão iníquas proezas. Resultados? O partido do novo presidente (o sujeito odiado pelo povo) ganhou a coisa, com 1027 autarcas e 1,2% de crescimento face a 2012. Diversos partidos que colaboraram no golpe (as demais quadrilhas ao serviço da burguesia e do imperialismo) cresceram abundantemente e ocuparam os lugares seguintes. O partido amigo dos pobres (e da ex-presidente eleita) caiu de terceiro para décimo lugar, encolheu 60%, conseguiu uma única capital estadual (no Acre, atenção) e, para efeitos práticos, quase desapareceu."

Cá deste lado, os indignados, fingem que não deram por nada