Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Orgulho no partido social democrata alemão

A coligação com a CDU para formar governo recebeu o apoio de 76% dos membros do SPD. Após dois meses de intensas negociações, a Alemanha tem um governo com um programa minuciosamente pensado e discutido.

Para além do esmagador "sim", Sigmar Gabriel tinha também razões para estar eufórico com a elevada participação na consulta – 78% dos 474 mil membros do partido responderam à chamada e a maioria deles deu um novo fôlego ao líder do SPD, depois da humilhação sofrida nas eleições de Setembro.

Há três meses, a CDU/CSU recebeu 41,5% dos votos, ficando a curta distância daquela que seria uma histórica maioria absoluta, que já não acontece na Alemanha desde 1957. Os sociais-democratas do SPD não foram além dos 25,7%, o seu segundo pior resultado desde a II Guerra Mundial.

Seguiram-se semanas de difíceis negociações com vista à formação de um novo governo. As principais conquistas do SPD foram a introdução de um salário mínimo no país (que vai começar a ser pago a partir de 1 de Janeiro de 2015, a 8,5 euros à hora) e uma diminuição da idade da reforma (63 em vez de 67 anos para quem trabalhou 45 anos).

1 comentário

Comentar post