Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Mais uma vez o estado - um buraco superior a mil milhões

Agora na Segurança Social foi descoberto um buraco superior a mil milhões de Euros. A golpada é sempre a mesma. Quem tem acesso aos processos, fá-los desaparecer, ou vai-os colocando em último na fila por forma a chegarem à prescrição ou, pelo menos ,sempre à espera que o sistema os perca de vista ou os esqueça.
Esta golpada é copiada em tudo o que são serviços do estado. Na Justiça os processos vão apodrecendo na gaveta ( a mim uma Juíza, ao fim de sete anos, disse-me que a minha acção contra alguns jornalistas jazia, juntamente com outras, no fundo de uma gaveta e ninguém lhes mexia). Como quem diz, isto é uma chatice, acaba com isto e depressa. Aliás, disse-mo várias vezes de viva voz.
Ter funcionários avençados , nos serviços estratégicos públicos é o normal por parte da maioria das empresas. Um tipo que eu conheci e que já não vejo há mais de vinte anos, um dia disse-me, nunca mais vou pagar impostos nem vou receber nenhuma citação das finanças, vou morrer para eles. Mudou a propriedades das coisas para nome da mãe que estava num lar "entravada" com vários AVC , um funcionário diligente fez desaparecer os processos que pendiam sobre ele e nunca mais entregou documento nenhum ao estado em nome dele. E, realmente,morreu !
Que houve muita gente a ganhar dinheiro com golpadas destas nos anos de brasa de 70 é mais que conhecido mas que a "coisa" se mantinha com esta amplitude é uma enorme surpresa. O Estado é um sistema fechado, resistente à mudança e ao controlo. Sem vários modelos de gestão a fornecer serviços públicos as "batotas" nunca terminarão. E o que não se saberá?
Um amigo meu tem, para aprovação na Câmara Municipal de Lisboa, um projecto de um prédio com 112 fogos, há vinte anos ! Já foi a diversas Assembleias Públicas da Câmara gritar com o António Costa que, coitado, lhe dá toda a razão no momento, mas que não é capaz de ultrapassar os serviços.
Os serviços do Estado não podem ser monopolistas no fornecimento dos serviço públicos!

1 comentário

Comentar post