Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O bailinho da Madeira continua

Cinco milhões de euros para um hospital no Funchal que não foi construído. A Madeira tem 200 000/300 000 pessoas entre residentes e visitantes o que justifica um hospital de 300 camas, mas este estava para avançar com 600 camas. É, claro, que um hospital que à partida custa perto do dobro de um hospital normal nunca será rentável.
" O Tribunal de Contas (TC), no relatório da auditoria orientada para a execução física e financeira dos contratos de prestação de serviços divulgado esta sexta-feira, concluiu que os contratos iniciais e adicionais para a elaboração do projecto de construção do Hospital Central da Madeira (HCM) determinaram para a respectiva assessoria técnica, até 22 de Fevereiro de 2011, a assunção de encargos no montante de 4885 milhões de euros, não incluindo o IVA. Mas, como frisa o tribunal, a utilidade ficou comprometida com a deliberação de suspender a concretização da nova unidade hospitalar, tomada pelo conselho do governo regional em 17 de Fevereiro de 2011."