Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Um bom caso para o Tribunal Constitucional analisar

Ganham mais, têm menos tempo de descontos, pensões mais altas e parte do financiamento é assegurado por quem ganha menos. Quando os sindicatos hasteiam a bandeira dos direitos adquiridos, é bom lembrar que os funcionários públicos, segundo estudos recentes, estão, em média, mais de 18 anos a receber pensão contra nove anos no sector privado. A idade de reforma na função pública foi mais baixa durante muitos anos, o que explica essa diferença. É certo que a idade da reforma de 65 anos é igual para os dois sectores, mas os trabalhadores do Estado continuam a reformar-se antecipadamente (com penalizações), enquanto o sector privado não o pode fazer.
A harmonização da fórmula de cálculo defendida na legislação ontem aprovada pelo governo de Passos Coelho é, por isso, socialmente justa e economicamente justificada – tal como já o tinham sido as alterações de 2006 promovidas pelo executivo de Sócrates.