Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Feliz Natal

 

 

 

 

 

So, this is Christmas
And what have you done?
Another year over
And a new one just begun

And so this is Christmas
I hope you have fun
The near and the dear one
The old and the young

A very merry Christmas
And a happy New Year
Lets hope it's a good one
Without any fear

And so this is Christmas
For weak and for strong
For rich and the poor ones
The road is so long

And so happy Christmas
For black and for white
For yellow and red ones
Let's stop all the fight

A very merry Christmas
And a happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear

And so this is Christmas
And what have we done
Another year over
And a new one just begun

And so happy Christmas
We hope you have fun
The near and the dear one
The old and the young

A very merry Christmas
And a happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear

War is over
If you want it
War is over
Now

Songwriters
Yoko Ono;John Lennon

 

A esquerda entre dois whiskies e um arroto

Eram dois jovens engenheiros ucranianos que numa manhã apareceram aqui no largo . Vi-os descer ao inferno. Não tinham emprego e as ajudas eram poucas e estavam a terminar. No mínimo ajudá-los a voltar à terra natal mas nem isso.

Estes dois jovens foram os que mais me marcaram mas tive outras experiências igualmente desoladoras . Falei com eles, ajudei-os no possível mas os chineses têm razão. Sem cana de pesca  não se apanham peixes. 

Deixar entrar gente no país sem cuidar de lhes assegurar condições de uma vida digna é criminoso .Sabemos o que se passa na agricultura no Alentejo e no Algarve onde centenas de imigrantes são explorados. Nas ruas de Lisboa sem abrigos imigrantes é um ver se te avias. E sabemos como o país nunca conseguiu tirar da pobreza 10% de portugueses. E pior, há portugueses que trabalham mas nunca conseguiram sair da pobreza.

Os serviços públicos estão pior que nunca miseravelmente às mãos da frente de esquerda . Mas é esta mesma geringonça que untada de bondade abre a porta aos pobres que nos procuram descuidando o pequeno pormenor de lhes proporcionar oportunidade de usufruírem uma vida decente.

Entre dois whiskies e um arroto a esquerda dorme descansada.

Os coletes amarelos abalaram um dogma profundo

Os problemas ambientais não são considerados mais prementes do que pagar a renda ao fim do mês para aqueles que vivem com dificuldades.

Ora só pessoas instaladas na vida e com um certo grau de conforto aceitam que as políticas ambientais se possam repercutir nos seus rendimentos.

É justo que as pessoas com mais rendimentos paguem pelas políticas ambientais, mas profundamente injusto que estas impactam sobre setores populacionais que lutam pela sobrevivência.

As manifestações dos coletes amarelos em França foram a primeira movimentação popular significativa contra políticas ambientais. O seu profundo significado político reside precisamente no reconhecimento deste facto. Até agora as políticas ambientais eram consideradas unanimemente como populares entre os países desenvolvidos. Verificou-se, no entanto, que este pressuposto estava errado. Afinal não era assim. A maioria da comunidade científica, com todo o alarmismo que colocou nos problemas ambientais, não conseguiu fazer com que as pessoas se preocupassem mais com a “pegada ambiental” do que com pagar a renda ou ter mais compras no final do mês.

PS : A GALP está milionária à nossa custa

sl.jpg

 

A GALP está milionária à nossa custa

Claro que há razões fortes para que os coletes amarelos se manifestem em Portugal, Eu só não vou se não puder.

Nos EUA, o preço médio atual da gasolina é de 0,64€ por litro. Em França, a gasolina está a 1,44€ por litro. Em Portugal, está exatamente ao mesmo nível da França (GlobalPetrolPrices.com), embora a diferença de salário médio entre os dois países seja brutal: em França, o salário médio está em 2.255,00€, e em Portugal é de 925,00€. O que significa que uma empresa como a GALP, para além de beneficiar de metade do preço da matéria prima dos combustíveis sem ter diminuído proporcionalmente o preço de venda dos combustíveis – pelo contrário, ainda os aumentou – paga metade do salário da sua congénere francesa aos seus trabalhadores. Alguém está a ficar multimilionário à custa dos consumidores, ou seja, à nossa custa.

Há outro fenómeno que se conjuga com a situação anterior para criar uma “tempestade social perfeita”. Está relacionado com a baixa do preço do petróleo verificada nos últimos 10 anos. O barril desceu para cerca de um terço desde 2008 – em junho de 2008 estava a 161,28USD e, em 14 de dezembro deste ano, a 51,25USD — sem que o consumidor europeu tenha beneficiado desta tremenda descida da matéria prima no preço dos combustíveis. Nos EUA, a gasolina vendida ao consumidor baixou cerca de um terço desde 2008, acompanhando muito de perto o preço do petróleo, mas na Europa o sistema em vigor impediu que o consumidor beneficiasse de uma descida significativa dos combustíveis. Pelo contrário, em Portugal, escandalosamente, a gasolina aumentou desde 2008, de 1,381€ para 1,507€.

O assalto dos políticos à justiça

Quando correm importantes processos judiciais os politicos querem mudar as instituições com o objectivo de controlar .

Marcelo, que aceitou a não recondução de Joana Marques Vidal, vá lá saber-se porquê, já veio dizer que para se alterar a composição do Conselho Superior do Ministério Público será preciso alterar a Constituição. Será mesmo? A propósito, fiquemos com o que disse Joana Marques Vidal sobre este assunto: «A defesa da maioria de membros não-magistrados no Conselho Superior vai ao arrepio das orientações dos organismos internacionais, como o Conselho da Europa». Citada pelo Público, disse ainda: Essas orientações «têm uma razão de ser: Manter a independência dos tribunais, que pode ficar em causa quando os membros não magistrados ficam em maior número».

Porque é que o apoio à UE está em alta ?

Hoje vi e ouvi num canal televisivo o cabeça de lista às europeias do PCP dizer que os portugueses sabem  que a UE não responde aos seus anseios, que Portugal não evoluiu e não se modernizou e toda uma cartilha que só comunista vê. Mas a verdade é que as sondagens mostram que mais de 60% dos portugueses apoiam o país na UE e valor semelhante para os cidadãos dos outros 27 membros da UE:

Em minha defesa, deixo-vos perguntas retóricas. Se a Europa está no fim, porque é que quem está de fora (Europa de leste, Europa balcânica) continua a fazer fila para entrar? Porque é que aqueles que alegadamente querem sair (Reino Unido) não conseguem encontrar a coragem ou a vontade para o fazer? Porque é que os populistas que procuram desafiar o Euro (Grécia, Itália) acabam por ceder à realidade e, sim, aos benefícios de ter uma moeda forte?

Mais importante ainda, porque é que o eurobarómetro diz que o apoio popular à UE está no ponto mais alto dos últimos 35 anos? Porque é que o apoio ao Euro está em alta?

Banco de Portugal emite sinal de alarme

A economia desacelerou em 2018 e vai continuar a desacelerar em 2019, 2020 e 2021. António Costa e Centeno deviam explicar porque continuam a sorrir .

Estas projeções do BdP seguem-se a duas outras notícias negativas: a revisão em baixa das previsões da Comissão Europeia para a economia portuguesa e dados do INE, segundo os quais a qualidade da vida das famílias portuguesas “piorou face ao resto da Europa”.

E falta ainda o impacto das greves dos estivadores em Setúbal e dos trabalhadores das refinarias da GALP em Sines, Leixões e Matosinhos .

Está lindo, António .

pibp.jpg