Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Os juros já vão nos 3,85% a 10 anos

Ser patrióta e de esquerda é esconder esta trajectória assassina dos juros da dívida . Os investidores antes de porem cá o dinheiro pensam assim : a) a economia cresce a bom ritmo, para 1,3% ( passar de 1,6% em 2015 para 1,3% em 2016 é crescer ???) b) os partidos apoiantes do governo não querem pagar o que devem c) os mesmos partidos querem sair da Zona Euro e da União Europeia, justamente as garantias que nos podem dar d) o governo corta no investimento em vez de cortar na despesa corrente e) a dívida está cada vez mais alta e já vai nos 133% do PIB .

O país está suspenso como uma marioneta. Mexe-se, pouco, mas sem vontade própria. O BCE pode tirar o programa de compra da dívida, as agências financeiras podem baixar o rating, os credores podem não emprestar mais dinheiro. 

A "estrela natalícia" indica-nos o caminho mas, para António Costa, Jerónimo e Catarina, o caminho só pode ser a sua ( deles) salvação. A União Europeia não nos vai deixar cair, nós cumprimos o défice e o Tratado Orçamental e mais não podemos. 

E para mal dos nossos pecados a Grécia está pior que nunca. É que se a Grécia for empurrada para fora da Zona Euro nós vamos a seguir. Limpinho.

Porque te ris, António ? 

Existe uma coisa homógenea chamada " os professores "

E essa coisa serve para Mário Nogueira e a Fenprof embrulharem todos num saco como se fossem todos iguais. Não são e é uma das razões que me leva a pagar a um colégio privado . Primeiro para o meu filho e agora para as minhas netas . Porque não há nem haverá um qualquer sindicalista comunista a dizer-me em que escola é que tenho de inscrever as minhas crianças . 

" existe uma coisa homogénea chamada “os professores”. Esta terceira ideia feita está aqui para eu próprio me penitenciar do seu uso em excesso. Houve quem me tivesse justamente criticado por confundir os professores com aquilo a que Mário Nogueira chama “os professores”. Toda a linguagem tem limitações. Claro que cada professor é um indivíduo. Claro que os professores não são um rebanho a balir em uníssono. Claro que a posição dos professores não se confunde com a da Fenprof. Nada faria melhor à educação em Portugal, aliás, do que os professores libertarem-se da imagem de classe homogénea que tenta resistir a qualquer novidade. Conheci professores extraordinários. Conheci professores muito maus. É pena que tenha de chamar a mesma coisa a uns e outros. E que uns e outros recebam o mesmo ordenado no final de cada mês "

A descentralização da Administração Pública é a reforma das reformas

Se forem estabelecidas novas competências e respectivos recursos técnicos, humanos e financeiros a descentralização trará maior proximidade aos problemas concretos das populações. Na saúde, na educação, nos tribunais, na segurança social, na gestão do território.

António Costa, disse que o incremento da descentralização do Estado é a melhor forma de celebrar os 40 anos do poder local democrático em Portugal. Durante a sua intervenção, o primeiro-ministro, defendeu que “o poder atribuído a quem está mais próximo” dos cidadãos é um poder que “mais eficazmente resolve os problemas das populações”. “A melhor forma de celebrar estes 40 anos do poder local democrático é confiar e apostar na necessidade de maior descentralização”, reiterou.

"A proximidade é o princípio básico de uma verdadeira democracia e o motor para o progresso", afirmou, propondo que "só assim se reforçará a participação democrática e a transparência, mas também o desenvolvimento económico e social, a unidade nacional e os laços de solidariedade entre todos os portugueses".

E se os autarcas governassem o mundo ?

O Estado o grande educador sexual

Olhe que o Estado vai ensinar à sua filha de cinco anos o que é isso da sexualidade. E se tiver uma filha de dez anos vai-lhe ensinar o que é o aborto . Só não percebe quem não quer porque está a Educação nas mãos de uns quantos burocratas estatais. Querem entrar na nossa casa e evangelizar as nossas filhas segundo os mais modernos conceitos sexuais. E quanto a educação sexual é, claro, que as mães não sabem nada, as avós são umas iletradas, fica tudo nas mãos de uns quantos directores gerais e de umas azougadas mestradas e doutoradas.

Não sei porquê mas em Portugal convive-se bem com o conceito do Estado Grande Educador: não aflige ninguém que o Estado nos entre pela casa dentro e imponha como é que os nossos filhos devem ser educados.

Um Estado socialista como o nosso vai até onde o deixam ir e com a convicção perigosa de quem se acha mais habilitado do que os pais para educar os filhos. Seja em educação sexual, alimentação, religião ou laicidade. Um Estado como o nosso não toca à campainha para entrar em nossa casa. Entra. E é isto o mais sinistro do documento referencial: o abuso. É que estas são portas que não se abrem a estranhos e muito menos à figura abstrata que é o Estado.

Rui Rio tem prestígio nacional

As sondagens internas do PSD é que vão indicar o candidato. E no partido só há dois nomes com credibilidade nacional. Passos Coelho e Rui Rio . Não percam tempo e dediquem-se às autárquicas principalmente aqui em Lisboa . Com Santana Lopes fora da corrida, mas que podia ganhar, é preciso encontrar alguém para disputar a vitória a Medina que é um candidato fraco.

sondrio.jpg

 

A trajectória das taxas de juro é um pesadelo

A taxa de juro a 10 anos tornou a subir agora para 3, 847% . É um pesadelo , menos para António Costa porque ele sabe que com os problemas eleitorais da Europa, o BCE não vai deixar que Portugal mergulhe noutra crise esta, de proporções descomunais. O pior é se se engana e Bruxelas faz da Grécia e de Portugal o exemplo mandando-os borda fora da zona euro . Os dois países já estiveram mais longe do empobrecimento sem retorno. 

Juros de Portugal continuam escalada

A decisão do BCE de não flexibilizar o limite das compras por emitente e por linha de obrigações continua a causar mossa nas obrigações nacionais. Segundo os analistas, o BCE está perto de, com as actuais regras, atingir os limites de compras de dívida portuguesa. E no mercado existia a expectativa de que essa regra fosse flexibilizada na reunião desta quinta-feira.

Ao não alterar essa regra, existe uma maior probabilidade do BCE ser forçado a reduzir o ritmo de compras de dívida portuguesa, o que está a pressionar as obrigações. A taxa a dez anos subiu esta sexta-feira 10,1 pontos base (aumenta 33,4 pontos base em dois dias) para 3,847%, perto do valor mais alto desde Fevereiro.