Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Jorge Sampaio : não os ouçam eles votaram mal

Agora a preocupação são as eleições próximas na Europa. A extrema direita vai beneficiar com a vitória de Trump. Afinal o muro também se pode saltar em sentido contrário. Quem trouxe para o lado de cá do muro os partidos "fracturantes" agora começa a perceber que os eleitores e contribuintes não os querem cá.

Mas quando estávamos à espera que o grito de aviso fosse "ouçam-nos", o que ouvimos é que estão enganados.É preciso explicar-lhes, burros que são, qual é o verdadeiro sentido do voto.

Já escrevi inúmeras vezes e repito de novo: a Europa tem de saber fazer marcha-atrás quando percebe que está a ir contra uma parede. O Brexit pode ser uma oportunidade para alguma “desconstrução” da União Europeia, algo que Jorge Sampaio equipara a “destruição” mas que os eleitorados claramente desejam.

Lixo branco. “White trash”. Aqui chegámos. De uma forma ou outra, quem votou em Donald Trump não presta. São velhos. Incultos. Pobres. Vivem longe do cosmopolitismo dos centros urbanos. E, claro, são racistas. Machistas. Xenófobos. E por aí adiante.

Não gostem do Trump gostem de quem votou nele

Quem votou no Trump tem razões, não os tratem como se fossem uns idiotas. Primeiro porque não são idiotas segundo porque é necessário perceber as razões que os levaram a votar dessa forma.

Há uns dias Marisa Matias colocava a questão dos refugiados da forma habitual. Entram todos, temos que nos preparar para os receber. Como ? Podemos? Isso interessa pouco. Na sua frente José Miguel Júdice dizia-lhes " que os tipos que moram lá no bairro de acolhimento, lá na rua, não gostam, não querem." Mas para Marisa isso não interessava nada. O que interessava é que o seu interlocutor referia-se " aos tipos" ...que indignação, mas para a matéria disse nada.

E o raciocínio é o mesmo perante o terrorismo, o viver à conta de quem paga os impostos . Tudo direitos. Os que nasceram cá é que só têm deveres, nenhum direito. Não há discussão possível . Quanto pior , melhor.

Depois quando se vai analisar quem votou em quem, descobre-se que são os trabalhadores brancos que perderam o emprego nas cinturas industriais . E agora já os ouvem ?

Taxas de juro a 4% na zona de perigo

As taxas de juro a 10 anos já estão na zona de perigo aproximando-se perigosamente dos 4% meta imposta pela agência DBRS . Não é só o custo da dívida que impede que se faça a substituição de dívida mais cara por dívida mais barata é também a capacidade do estado conseguir colocar mais dívida no mercado para atender às necessidades do estado.

O problema para Portugal, espelhado nesta subida das taxas, não é, apenas, uma questão de encargos com juros mas é, também, uma questão de acesso ao mercado. David Schnautz, estratega do Commerzbank, questiona, em declarações enviadas ao Observador esta segunda, até que ponto o IGCP terá condições para agendar um leilão de dívida de longo prazo para a próxima semana. E não só: até que ponto terá o Estado condições para emitir os quase 16 mil milhões de euros em dívida de longo prazo que quer emitir em 2017.

De 1% a taxa de juro subiu acima dos 3% e já chegou aos 3,66%, depois de já ter tocado nos 4%. É claro que com a economia a crescer 0,9% não é possível ao país pagar a dívida

Cá dentro está tudo bem lá fora há cada vez maiores preocupações com Portugal. A geringonça vai ficar-nos bem cara.

zonadeperigo.jpg