Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Os depositantes pagam a factura na CAIXA ?

eurodeputado do PS Manuel dos Santos considera possível que os depositantes com mais de 100 000 euros venham a ser chamados a converter em capital o montante acima daquela importância. Mais um prego no caixão da CAIXA que este governo de braço dado com a extrema esquerda está imbecilmente a enterrar. A ideia é mesmo transformar a CAIXA num banco privado ?

Se os novos administradores não entregarem aquelas declarações no tribunal e acabarem afastados por incumprimento da lei, a Comissão Europeia pode optar por voltar com o processo atrás e , nesse contexto, impor um ‘bail-in”, alertou.

Esta solução, no fundo, faz deslocar os encargos destinados a salvar os bancos dos contribuintes para os investidores e depositantes obrigacionistas. Será “uma situação extrema” que espera não venha a acontecer, “mas com esta trapalhada toda na Caixa, que já dura desde janeiro deste ano, é uma possibilidade que não pode ser excluída”.

E quando o pior pode acontecer é quase certo e vindo de um socialista ainda mais provável.

 

Centeno decapitado sem piedade - por Paulo Gorjão

ANTÓNIO DOMINGUES [2]
“A lei que impõe a apresentação da declaração de rendimentos” e o Governo “preza (...) o cumprimento da legislação”, frisa o secretário de Estado, Pedro Nuno Santos. “Se fosse essa a nossa intenção tínhamos alterado a legislação que implica a apresentação e a entrega da declaração rendimentos”, acrescenta, dizendo desconhecer se a não entrega da declaração foi uma condição negociada pelo presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos (CGD), António Domingues, para aceitar o cargo. “Não tenho conhecimento disso e os detalhes sobre essa matéria devem ser questionados obviamente ao ministro das Finanças”, diz Pedro Nuno Santos (DN/TSF).
Eis como, com total sangue frio, Pedro Nuno Santos não mexe um dedo para auxiliar Mário Centeno. Antes pelo contrário, remete o foco das atenções para si, ajudando a enterrá-lo politicamente ao vivo e a cores. O ministro das Finanças é um corpo estranho à tribo dos militantes do PS, por isso, como se constata, dela não terá qualquer manifestação de lealdade.
Como se costuma dizer, não há fumo sem fogo. A forma como Pedro Nuno Santos isola, sem piedade, Mário Centeno parece confirmar que está mesmo a prazo (Sol), apesar do desmentido irritado de António Costa (RRenascença).
Desde o primeiro dia que o Governo tem conduzido o dossier CGD com os pés e com extrema inabilidade. Não era agora que tudo iria mudar.