Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O malabarista político caiu fora da CAIXA

Desta vez o malabarista político calculou mal o salto e caiu fora da caixa de segurança. Palavra dada palavra honrada, assegurou ao gestor que não era preciso depositar a declaração de rendimentos e património no Tribunal Constitucional. Agora, apertado por uma Lei da sua lavra diz, candidamente, que já entregou a sua.

A isto chama-se tirar o tapete a António Domingues e vamos ver se além do tapete não lhe tira a CAIXA de segurança e se os danos no banco publico não serão já inevitáveis e incalculáveis.

A deputada Catarina Martins, tomada pela mesma febre criativa veio propor que a declaração de António Domingues ficaria secreta. Ora isto é o contrário do espírito e letra da Lei. O BE esqueceu muito rapidamente a luta de classes. O que a Lei diz é que as declarações depositadas no Tribunal Constitucional são para serem tornadas publicas. Para que serviriam se assim não fosse ?

É uma vergonha o que se está a passar entre o governo e a administração da Caixa. Depois do governo ter dobrado a espinha perante as exigências de um gestor, vemos agora que o governo para conseguir o que queria mentiu. Depois de cinco mil milhões de euros ( que a anterior administração nunca exigiu), depois de salários milionários, depois de membros propostos para administração terem sido aconselhados a frequentarem cursos de preparação, temos a CAIXA à beira do abismo.

E, pensarmos nós, que tudo isto foi concebido para que rapidamente a CAIXA fizesse chegar dinheiro à economia, às médias e pequenas empresas.

Malabarismo político sem rede, é o que é. Depois vê-se.

malabarista.jpg

 

 

Antes que seja tarde

Aí está, ao fim de apenas um ano, o resultado das políticas do governo. Um governo a desmoronar-se com importantes ministros na porta da saída.

Para Março de 2017 o BCE prepara-se para acabar com a política de compra de dívida pública o que fará que os juros da dívida portuguesa saltem para perto dos 5%. Insuportável com uma dívida que não para de crescer.

Uma coisa é certa. Sem os investidores que PCP e BE tanto odeiam não haverá crescimento da economia para criar riqueza e postos de trabalho.

sol-2016-11-05-4fc82b.jpg