Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O que seria dos doentes sem o sector privado ?

Sabemos que existem listas de espera de 160 000 doentes para cirurgia . Sabemos, porque já todos experimentamos, as horas de espera nas urgências dos hospitais públicos. Sabemos que há exames de diagnóstico que demoram meses a serem efectuados na SNS. Quem não sabe é a Catarina Martins que faz esta grave acusação ao SNS e aos seus profissionais : "...Além disso, referiu os 450 milhões gastos em PPP no sector e lembrou que “todos os anos contratualizamos 1.300 milhões de euros em meios complementares de diagnóstico e terapêuticos, 633 milhões de euros por ano em fornecimento de serviços e há capacidade instalada em hospitais públicos que não está a ser utilizada”.

O Presidente da República sabe que o BE não está interessado nos doentes pois, de outra forma, mal se compreenderiam as dificuldades do SNS para tratar quem o procura a tempo e horas. Mas na saúde como na Educação o que interessa é a propriedade dos hospitais e das escolas ser estatal não é a sorte dos doentes e dos alunos.

A Dona Catarina devia pedir desculpa aos profissionais do SNS.

A próxima geração vai ser melhor que a actual

Preferem um plano de seguro de saúde e só após um bom salário . Bom ambiente empresarial, oportunidades de carreira e tempo para a família. E estão mais dispostos a trabalhar - quando necessário- que não é o mesmo de permanecer na empresa horas seguidas.

Entre as 2.000 pessoas consultadas, 58% dos que integram a geração Z disseram que até  trabalhariam à noite e aos fins-de-semana em troca de melhores salários, contra 45% da geração Y, 40% da geração X e 33% da geração nascida no pós-Segunda Guerra Mundial.

A surpresa não é assim tão grande: têm a juventude a seu favor e geralmente não estão sobrecarregados com a responsabilidade de cuidar de crianças, que torna difíceis para as gerações anteriores os horários irregulares de trabalho.

seguro.png

 

O Ministério da Educação a desertificar o interior

Quando se fecharam centros de saúde e maternidades, tribunais e balcões dos CTT foi uma algazarra de indignação. Estavam a desertificar ainda mais o interior do território. Mas agora com o corte do financiamento dos colégios privados em que já se anunciam o fecho de alguns, em lugares como Caminha e Proença-a-Nova, já não há algazarra nem indignação.

Num sector como o da Educação que assim reduz oportunidades aos mais jovens e impede a liberdade de escolha às famílias. Manter o financiamento a escolas que não têm outro mérito que não seja o de ser pública e fecha boas escolas livremente escolhidas pelas famílias. E mais uma vez temos a prova que o que leva PCP e BE ao protesto não é a defesa dos cidadãos mas antes a imposição da sua cartilha totalitária.

Pobres de nós se algum dia nos esquecermos que partidos marxistas-estatistas são o que são. Preocupam-se pouco com as pessoas e a desertificação do território é só um pretexto para a arruaça. 

Trata-se de uma decisão ideológica que não atende ao interesse das populações e dos alunos.

A mais merecida das homenagens

sns.jpg

 

sns2.png

 

Car@s associad@s

 

A pedido dos organizadores, divulgamos o programa das comemorações do 37º aniversário do Serviço Nacional de Saúde, que comporta uma justa homenagem a António Arnaut.

 

Cordiais saudações

Vasco Lourenço

 

P.S.

Para além de vos informar que aceitei o convite para estar presente, informo também que esclareci que o meu posto actual não é o de general, mas sim o de coronel.

 

 

CONVITE

General Vasco Lourenço

O CHUC em colaboração com a ARS do Centro organiza no próximo dia 15 de Setembro de 2016 (Dia Nacional do SNS) as comemorações do 37º aniversário do Serviço Nacional de Saúde.

O programa contempla dois tempos distintos: durante a manhã, abordar-se-ão as oportunidades para o desenvolvimento futuro do SNS e, durante a tarde, apreciar-se-ão os seus resultados e far-se-á homenagem ao seu fundador, Dr. António Arnaut.

Sublinham-se a relevância e a importância deste momento de celebração, atento o reconhecimento do notável papel que o SNS tem na coesão nacional, na justiça social e na solidariedade entre portugueses, para além da circunstância adicional de se assinalar o contributo do seu fundador António Arnaut na defesa de referências éticas de uma vida dedicada ao serviço dos valores humanistas.

As comemorações têm como tema “O Serviço Nacional de Saúde e o resgate da dignidade”, significando o facto de, ao longo dos 37 anos decorridos desde a sua fundação, o SNS constituir motivo de orgulho nacional, vista a sua capacidade de dar confiança aos cidadãos e de garantir esperança no futuro, assumindo-se como um dos mais prestigiados serviços públicos nacionais, assente na capacidade dos seus profissionais e nas políticas sociais surgidas com o 25 de Abril.

A presença de Suas Excelências o Senhor Primeiro-Ministro e o Senhor Ministro da Saúde consagram a importância deste momento de celebração.

Convidamo-lo(a) a associar-se a estas comemorações durante o período da tarde (14.30), honrando-nos com a sua presença, engrandecendo as suas dimensões de valorização do SNS e de homenagem ao fundador do SNS.

Peço também se possível a divulgação do período da tarde – Homenagem Dr. António Arnaut – com inicio às 14.30 já que a chegada do Sr. Primeiro Ministro a inauguração do conjunto estatuário é impreterivelmente às 15 horas.

Programa http://www.chuc.min-saude.pt/paginas/comemoracoes-dia-do-sns/programa-do-evento.php

Solicita-se a confirmação de aceitação do convite por email ou para  http://www.chuc.min-saude.pt/paginas/comemoracoes-dia-do-sns/formulario-de-inscricao.php

 

 

 

 

Comissão Organizadora SNS 37 Anos