Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

As tretas da Catarina Martins

A Catarina também foi ao rescaldo ao Funchal. Como convém a uma estadista e acompanhada das câmaras de televisão. E que disse a bloquista ? Que é preciso que a prevenção e o combate aos incêndios sejam feitos com meios públicos porque os incêndios não podem ser um negócio privado.

Logo a seguir apareceu o comandante nacional dos bombeiros à saída do Palácio de Belém. Pergunta-lhe um jornalista, mas ó senhor comandante porque é que o exército e a força aérea não ajudam a combater os incêndios? E o comandante - que já era bombeiro antes da Catarina nascer - não está de modas : porque os ministérios da Defesa e da Administração Interna não se entendem.

Estás a ver ó Catarina ? nem sequer se entendem quanto mais combater incêndios. Espero bem que nessa equação dos negócios privados acrescentes mais umas incógnitas públicas. Porque o verdadeiro negócio é como bem deu a entender o comandante. Se há meios públicos porque não são utilizados ? E que faz a Justiça pública quando tudo indica que há uma mafia organizada?

Mas isso já é areia a mais para a tua camioneta. Ai, Catarina, Catarina...

A economia também está a arder

Como há muito avisaram as instituições nacionais e estrangeiras e ao contrário do que prometia o ministro das finanças. Prometer um crescimento de 1,8% e não passar de 0,8%. Que a economia cresceria à boleia do consumo interno mas que ao contrário está a desacelerar. O investimento afunda.

As contas externas liquidas é que vão compondo o cenário. A tal treta da Catarina. As exportações não estão brilhantes, longe disso, mas as importações caiem mais logo, o saldo é positivo.

Com este cenário como é que há mais emprego ? Não há. Mas a taxa de desemprego baixou graças aos 286 mil portugueses que emigraram. Cuidado com a narrativa do governo sobre o desemprego . A verdade é que há menos 172 mil pessoas empregadas.

Já há quem diga que o défice vai ficar nos 3,4%. Não é só a floresta que está a arder.