Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

63% dos Portugueses querem continuar na União Europeia

Há consenso entre os portugueses sobre a permanência do país no seio da UE. Bem podem o BE e o BCP incentivar à realização de referendos ou à preparação para a saída mas a verdade é clarinha. Os portugueses querem continuar na Europa.

E a maioria que assim se pronuncia é grande. 63% não deixa margem para dúvidas. Seria bom que os dois pequenos partidos da extrema esquerda ( juntos não chegam aos 20%) respeitassem o querer dos cidadãos.  

De acordo com uma sondagem Expresso/SIC, 63% dos portugueses respondem não à pergunta: “Acha que deve haver no futuro um referendo em Portugal sobre a União Europeia, independentemente de haver ou não sanções?".  Apenas 22% responderam sim.

Aceitemos ganhar menos para trabalhar menos

Não há trabalho para todos e haverá menos com a evolução da tecnologia. E as pessoas terão opções que agora não têm. Podem ter tempo para o lazer, para tomar conta e educar os filhos e podem optar por ajudar quem precisa. Os jovens e os idosos que agora estão entregues a instituições sem rosto.

As poupanças em horas desperdiçadas no trânsito, os custos dos transportes financeiros e ambientais evitados mais do que compensam o desperdício do que compramos. E o trabalho da administração pública na sua voraz perseguição a quem trabalha. Milhões de cidadãos que não preenchem papéis, que não pagam impostos e que não necessitam de uns quantos milhares a escrutiná-los.

É o Simplex por excelência, a redução drástica da burocracia. E o estado poderá dedicar-se ao que verdadeiramente interessa. É uma espécie de ovo de Colombo mas que já está a ser preparado por vários países europeus.

Claro que os amigos dos trabalhadores, sem o exército de desempregados estarão contra. Aposto que o grande argumento vai ser a "dignidade do trabalho". Como se tratar dos outros não fosse trabalho. A D. Catarina Martins já disse que é tudo uma treta.