Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

A Ribeira das naus

Um lugar cheio de história agora recuperado para lazer dos Lisboetas e de quem nos procura. Foi só preciso tirar da frente o que estava a mais porque o que é verdadeiramente belo e histórico sempre esteve lá. A arqueologia seiscentista e os magníficos palácios . As águas do Tejo espraiam-se até ao passeio e às esplanadas.

Os turistas deliciam-se com a praia citadina cheia de sol no centro de uma grande cidade europeia. Uma obra inteligente que não deve ser destruída com betão e mais construção. Já se ouve falar num museu das Descobertas para o local. A última pincelada no quadro é sempre a mais difícil. Esperemos que não estraguem

 

 

Marcelo diz que aguenta o governo por uns tempos

É óbvio que o que pode aguentar o governo são os índices de  Bruxelas e do INE . Contra esses não há bravatas nem retórica e Marcelo também pouco poderá fazer se forem maus.

Aguenta mas será sempre por uns tempos. Porque o que está em causa são as reversões feitas num país com uma situação financeira desastrada a que se junta uma economia que não cresce. A taxa de juro a 10 anos subiu acima dos 3% e nunca mais desceu apesar dos montantes  astronómicos de dívida pública comprada pelo BCE.

Quando o BCE deixar de comprar dívida ( também será por uns tempos ) - o PCP e o BE acreditam que nessa altura refugiamo-nos todos na Serra da Estrela para conter o inimigo - os juros vão subir sobre uma dívida que não cessa de crescer e, por uns tempos, vamos ver Costa fazer o mesmo número circense de Sócrates. PEC l, PEC ll, PEC lll...

Aqui chegados será tudo por uns tempos

 

Portugal não merece sanções mas o governo sim

As sanções não são desejáveis mas tudo indica que são incontornáveis. Em Julho com os dados do 1º semestre o aumento de impostos (IVA) será inevitável. E o plano B que Costa nega há muito que está em Bruxelas. Nessa altura Costa não dirá não a Bruxelas e terá o PCP e o BE à perna.

Jerónimo já disse que quer uma solução intergovernamental retirando de Bruxelas o poder de decisão e Catarina ameaça com um referendo. Duas provas seguras que iremos ter um verão quente. E Costa e Centeno andam cada vez mais desalinhados . E as cativações de verbas ao nível dos ministérios já começaram.

Bem pode Costa dizer que a execução orçamental está em linha mas todos dizem que não. Não é possível tudo correr bem quando o crescimento da economia andará pelos 1% muito longe dos 1,8% que estão no orçamento.

António Costa chegou a dizer que a Comissão Europeia já o desiludiu outras vezes, como se preparasse caminho para o pior.