Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Os subsidios, os ajustes directos e as vinganças

Tudo confidencial e na paz dos anjos até ao dia que a câmara ou o estado se vê sem dinheiro ou apertado pelo Tribunal de Contas. Cortadas as benesses aparecem as vinganças envoltas em discursos bonitos sobre a defesa do ambiente.

Vítor Rodrigues ( presidente da câmara de Gaia ) considera que a referida "vingança" se deve ao facto de o Movimento SOS Estuário do Douro estar descontente com o "corte do financiamento confidencial à Quercus (...) de 15 mil euros por ano, assinado no mesmo ano em que desmataram por completo a Quinta Marques Gomes. E o descontentamento pelo fim dos ajustes diretos a uma empresa de árvores e jardins que ganhou dezenas de milhares de euros de ajustes diretos da Câmara e das Águas de Gaia nos anos anteriores".

Recorde-se que a promotora do Marés Vivas, PEV Entertainment, vai levar a associação ambientalista a tribunal, acusando-a de "terrorismo" por ter tentado convencer os artistas confirmados a não atuar no festival.

Entre aumentar o salário mínimo e aumentar o desemprego

O salário mínimo não tira a economia dos baixos salários embora seja mais do que justo aumentá-lo. O que o salário mínimo faz é impedir que os desempregados encontrem emprego. É esta a diferença entre o que diz António Costa e Bruxelas .

Depois de concluída a terceira avaliação pós-programa de assistência financeira da troika, a Comissão Europeia defendeu, esta segunda-feira, que os aumentos do salário mínimo previstos pelo Governo português vão ter um impacto negativo não apenas no emprego mas também na competitividade externa do país. Em resposta, já esta terça-feira, o ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, respondeu a Bruxelas dizendo que o Governo demonstrará que existe margem de manobra para o aumento do SMN.

Também o FMI tem vindo sistematicamente a demonstrar a sua oposição à políticas do Executivo de António Costa no que diz respeito ao SMN. Num documento publicado pela instituição sedeada em Washington, já em Abril, o FMI apontava o dedo à "reversão" de reformas estruturais encetada pelo Executivo aludindo, entre outras, ao "aumento do salário mínimo".

smn.jpg

 

No processo de Sócrates não há nenhum prazo ultrapassado

Quem o garante é a PGR  . O processo criminal português é muito "garantístico" o que permite que a defesa recorra sistematicamente para os tribunais superiores o que os advogados de José Sócrates têm feito. Tudo dentro da lei e dos prazos estabelecidos.

O processo já foi objecto de decisão nas suas várias fases por vários juízes e nenhum apontou ultrapassagem de prazos.

"E todas as fases processuais, todas as decisões do Ministério Público e todas as decisões dos juízes de instrução criminal, que têm sido emitidas nesse e noutros processos, têm sido objeto de apreciação por tribunais superiores, por juízes de outros tribunais, que já se pronunciaram várias vezes", acrescentou.

"O resultado dessas decisões vai-se cumprindo. Isso acontece em todos os casos"

Foi-se instalando a ideia em certas áreas da opinião pública que na Operação Marquês é um farrabadó de ilegalidades. Joana Marques Vidal vem assim repor a verdade . É que num estado de direito não pode ser de outra maneira.

A treta do BE

OCDE diz que Portugal precisa de uma segunda vaga de reformas estruturais tendo em vista o investimento e as exportações. Uma treta segundo o BE.

O que é preciso é aumentar os salários a quem já tem salário e aumentar a procura interna que, isso sim, criará muitos postos de trabalho. Quanto ao aumento das exportações é uma treta ainda maior. O BE deve ter razão e todos os outros estarem enganados.

Claro que o facto do desemprego estar a aumentar não tem significado nenhum trata-se de uma treta.

“Os níveis de investimento são muito baixos. Portugal precisa definitivamente de investimento, em particular, para reforçar o setor exportador e, assim, melhorar o desempenho das exportações”. É claro que isto é mais uma treta.

“Há problemas que ainda precisam de ser resolvidos e alguns foram identificados por organizações internacionais. Acho que agora seria um bom momento para pensar numa segunda onda de reformas estruturais, para trazer o crescimento e a recuperação para um caminho mais sustentado”. Outra treta segundo Catarina.

 

 

Ameaçam sair da UE mas todos acabam por ficar

As sondagens mostram que o Reino Unido irá permanecer na União Europeia. O sim à UE ganha terreno depois do chefe da oposição trabalhista se ter juntado ao sim. O chefe do governo Cameron - apertado pelas revelações dos Papéis do Panamá - pode respirar de alívio.

A saída e consequente maior dificuldade em aceder a um mercado de 500 milhões de consumidores traduzir-se-ia em enormes prejuízos para a economia e para o investimento bem como para a criação de emprego.

Este é mais um sinal para todos os outros países que se preparam para integrar a UE garantindo um salto de modernidade como foi o caso de Portugal. Facto que os inimigos da UE tendem a esquecer quando apontam o dedo às presentes dificuldades, como se um projecto desta dimensão fosse linear.

São bem vindos todos os que ajudem a encontrar o caminho que a humanidade percorre pela primeira vez. Dos fracos não reza a história.