Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Sócrates "faz de conta" que não conhece os indícios de crimes que lhe são apontados

Rosário Teixeira inspector da PJ que investiga os processos a Sócrates, reage ao recurso judicial dos advogados de Sócrates.

Ora, nesta resposta, Rosário Teixeira acusa José Sócrates de “não se inibir de insistir” numa tese já desmentida por todas as instâncias que já se pronunciaram sobre o caso e que “concluíram, de forma pacífica e uniforme, que há indícios fortes em relação aos factos e crimes imputados“.

A terminar a resposta ao recurso apresentado pela defesa do ex-primeiro-ministro, Rosário Teixeira assinala que “o que a conjugação racional e objetiva dos indícios revela é a prática, pelo arguido José Sócrates Pinto de Sousa, de ilícita complexa e alargada, (…) suscetível de integrar a prática de crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e dos crimes de corrupção passiva para ato ilícito (contrário aos deveres do cargo) relativamente ao empreendimento Vale do Lobo”.

Era bom para todos que a Justiça andasse mais depressa mas, não o conseguindo, ao menos que vá informando, dentro da mais estrita legalidade, o que se está a passar. Pessoalmente não acredito na narrativa de Sócrates mas não o dou como culpado enquanto não  for julgado.

É assim em democracia e no Estado de Direito.

TAPem os olhos está a entrar dinheiro chinês

Foi bem escondido mas o dinheiro falou mais alto. Nas negociações em que este governo entra há sempre alguma coisa que é escondido. Ao mesmo tempo que anda a reunir com os idiotas do movimento "Não TAPem os olhos", garantido que a TAP continua pública, é aberta a porta aos privados, melhor dizendo, ao dinheiro dos privados e do negócio do transporte aéreo que a TAP e o governo não têm.

Preto no branco: “O Estado português autoriza desde já a entrada no capital social da Atlantic Gateway pela HNA, em percentagem a acordar entre os acionistas da Atlantic Gateway e a HNA.” E mais: estando previsto o financiamento de €120 milhões à empresa, dos quais €30 milhões pelo Estado e €90 milhões pelo consórcio privado, “o Estado português autoriza igualmente que a HNA possa vir a subscrever diretamente parte das obrigações”, sendo que “os direitos que neste memorando de entendimento se referem à Azul se referirão à HNA”.

Os mercados dos US e Brasil bem como da China abrem-se para a TAP tornando-a uma verdadeira companhia de transporte aéreo global. E viável. Foi assim tão dificil perceber o óbvio ?

E eu é que sou mentiroso ?

Não há descida nenhuma na carga fiscal. É o próprio governo que o diz na errata que juntou ao orçamento. A carga fiscal é igual ao orçamento anterior. O que o actual governo fez foi baralhar e dar de novo, privilegiando as clientelas e pagando aos seus apoios da extrema esquerda. E chamavam eles mentirosos a tudo e a todos. Estamos esclarecidos.

A versão inicial dizia: 

"Invertendo a política dos últimos anos, perspectiva-se uma redução da carga fiscal em 0,1 p.p. do PIB em 2016. Os impostos sobre o rendimento e património caem 0,6 p.p. do PIB, resultado da diminuição da taxa de IRC de 23% para 21% em 2015 e da eliminação da sobretaxa de IRS."

 Na errata consta: 

"Invertendo a política dos últimos anos, perspectiva-se uma manutenção da carga fiscal em 2016. Os impostos sobre o rendimento e património caem 0,6 p.p. do PIB, resultado da diminuição da taxa de IRC de 23% para 21% em 2015 e da eliminação da sobretaxa de IRS em 2016."

Na versão corrigida do Orçamento o Governo assume assim que a carga fiscal se mantém igual à registada em 2015. Isto apesar de os números que constam no "Quadro II.3.1. Conta das Administrações Públicas 2014-2016" não sofrerem qualquer alteração.

Os transportes públicos, o custo dos bilhetes e as greves

Agora que António Costa nos remete para os transportes públicos a verdade é o que se sabia mas que sempre se encobria. São lentos, caros e faltam a qualquer momento. Uma larga maioria dos cidadãos prefere o carro próprio porque é mais barato, mais confortável, mais fiável e não está sujeito a greves dos camaradas da CGTP.

Os transportes públicos são, na opinião do Presidente da Câmara, "absurdamente caros " .

O autarca elogiou, ainda assim, o Governo de Passos Coelho (PSD), por ter sido "o único" que deixou legislação que, "não sendo perfeita", "fez um processo de descentralização de competências", ao nível do transporte público, para as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

Neste momento, a autarquia está em conversações com a administração central para uma eventual municipalização da Carris e do ML, transportadoras que, em quatro anos, perderam "cem milhões de passageiros". As negociações, garantiu na segunda-feira, em declarações aos jornalistas, Fernando Medina, "estão a correr bem".

Residentes da zona de Lisboa preferem o carro para ir para o trabalho

Em 2011, nos Censos, 54% das pessoas que residiam na região de Lisboa (abrangendo 18 concelhos) afirmaram que iam para o trabalho ou para a escola de automóvel. Isto representa cerca de 1,5 milhões de pessoas. Quer dizer as vítimas das greves são os mais pobres que não têm transporte próprio.