Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O governo não manda na TAP privatizada

A TAP deixou de ser uma empresa pública com a privatização. Se fosse necessário Rui Moreira mostrou como é que as empresas públicas operam em mercados concorrênciais. Obedecendo a práticas não comerciais que geram prejuízos que os contribuintes pagam.

A afirmação é dirigida ao presidente da Câmara do Porto, que defendeu a necessidade de o Governo dar ordens à TAP para restabelecer as ligações internacionais a partir do aeroporto Francisco Sá Carneiro. Rui Moreira quer que o Governo interceda para evitar a suspensão dos destinos para o estrangeiro que a empresa considera deficitários, mas “como era de prever” o executivo vai deixar essa decisão para a comissão executiva.

A TAP privada vai sobreviver, pública morreria ou, então, empobreciam os contribuintes

Os juros da dívida em Portugal agravam em todos os prazos

Porque será que as taxas de juro agravam em todos os prazos ? Mesmo aqui ao lado, em Espanha,  apesar da discussão e de não haver governo há meses, as taxas de juro não crescem. Na Grécia seguem a crescer

Nos restantes periféricos, as 'yields' da dívida estão, tal como no caso da República portuguesa, em alta, mas, tanto em Espanha como Itália, o agravamento na sessão não vai, nesta segunda-feira, além dos 5 pontos base.

Comparada a evolução da subida das 'yields' destes países com a portuguesa, o cenário é ainda mais gravoso. Nem o impasse político vivido aqui ao lado, em Espanha, nem as dúvidas relativas ao desempenho do sistema financeiro italiano colocam tanta pressão sobre as respectivas taxas de juro em mercado secundário. O 'spread' da dívida portuguesa face à italiana está em máximos de Março de 2014. Perante as 'yields' espanholas, a diferença entre o que os investidores pedem para a dívida da Coroa e a da República é a maior desde Janeiro de 2014.

Já a Grécia, de novo a viver um clima de conturbação social (de que são face visível as manifestações e bloqueios de estradas dos agricultores), vê os juros da sua dívida em mercado secundário agravarem 30 pontos bases.

Os únicos heróis e as principais vítimas

Ser comunista é ser bom/ é ser maior/ beber como quem tem sede/ beijar como quem deseja. Todos os outros são medíocres, reaccionários e maus.

O mais curioso é que os comunistas conseguiram convencer grande número dos seus adversários, a começar pelos seus mais abominados rivais, os socialistas, a serem complacentes e a pensar como eles. São estes os responsáveis pelo resgate moral e político dos comunistas.

Não querer os comunistas no governo, nem sozinhos nem acompanhados, é preconceito, é considerar que há partidos de segunda e é censura... Ao invés, não querer fascistas nem a direita no governo é patriótico.

Detestar os capitalistas, a direita, os sociais-democratas e mesmo alguns socialistas é honroso e patriótico. Detestar os comunistas é pior do que racismo.

Mas o povo não os quer. Na última votação nacional tiveram 3,3% dos votos. Mas já se sabe que a Democracia, uma pessoa/ um voto é uma invenção burguesa.

Nunca tantos viveram com esta qualidade de vida durante tanto tempo

Os sistemas caiem porque não respondem aos anseios da população. Mesmo contra tanques e armas haverá um dia que a população exige ter uma voz. É por isso que a Democracia e a economia de mercado sobrevivem. Nunca tantos viveram com esta qualidade de vida durante tanto tempo. Pela primeira vez só 10% da população mundial vive abaixo do limiar da pobreza.

Não se espere que se deite borda fora o menino com a água do banho.

Como as várias experiências socialistas têm mostrado o sistema é incapaz de produzir o suficiente para alimentar as populações. A Venezuela é um bom exemplo. A apodrecer de petróleo e com a população sem acesso aos produtos mais elementares. À volta da UE os países saídos da órbita da ex-URSS, os mais pobres dos pobres, tentam entrar no paraíso capitalista da UE.

Há desigualdade ? Claro, mas a capacidade do sistema crescer faz com que todos cresçam, uns mais outros menos, mas crescem todos. Serem todos igualmente pobres não é solução.  O que a Democracia tem de inigualável é juntar o crescimento com a liberdade individual, a solidariedade social a caminho de uma sociedade cada vez mais justa, onde a maioria vive bem.

O capitalismo, com as desvantagens inerentes, é um sistema que cria oportunidades e que consegue reinventar-se e fortalecer-se. Que o socialismo contribua para uma sociedade mais igual mas sem comprometer a iniciativa e o génio individual.

A realidade é o que é. 

A intoxicação do Galamba

Deve ser por causa dos gazes dos combustíveis mais caros que o deputado Galamba protesta contra a intoxicação da opinião pública. Que os contribuintes vão sentir muito dinheiro nos bolsos. A entrar muito e a sair pouco.

Há quem diga que o truque é mesmo esse. Sentir o dinheiro a entrar e não o sentir a sair. Vai-se à bomba da gasosa e quem é que nota que pagou mais? Os profissionais e as empresas. Os outros nem querem ver. E assim se engana o pagode.

publico7122016.jpg