Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

No último trimestre de 2015 cresceu a economia e o emprego

Convinha não estragar . Confirma-se um crescimento da economia de 1,5% em 2015, ligeiramente abaixo dos previstos 1,7%. O desemprego diminuiu. 

À semelhança da economia, também a criação de emprego terá acelerado entre Outubro e Dezembro (um aumento de 1,3% em cadeia), que é acompanhada pelo aumento dos custos laborais no sector privado (mais 2,5% em relação ao mesmo trimestre de 2014). Já no sector público, os custos laborais caíram 9,1% em termos homólogos, estima o mesmo documento.

As contas nacionais é que estão apertadas à volta de um défice de 3% e com a saída dos défices excessivos posta em causa. As últimas notícias sobre as medidas do actual governo, vindas do exterior, não são positivas para o investimento . Os investidores estão a perder confiança e sem investimento não há mais emprego e mais criação de riquesa

 

Henrique Neto não engole a narrativa de Sócrates

Os indícios eram mais que muitos. Sempre esperou que mais tarde ou mais cedo o ex-primeiro ministro estivesse a contas com a Justiça. E considera que é dever dos candidatos a presidente da república pronunciarem-se sobre os ataque de que a Justiça é vítima.

"Portugal não pode ter um Presidente da República cúmplice de comportamentos eticamente reprováveis, nem com medo do poder do sistema partidário ou de interesses económicos”, conclui Henrique Neto.

O militante socialista foi um dos maiores críticos da governação de José Sócrates e chegou a assumir, em declarações ao i após a detenção do ex-primeiro-ministro, que “há anos que esperava que isso acontecesse”, porque “os indícios eram mais que muitos”.

Há algum candidato mais independente que Henrique Neto ? Empresário, deputado e socialista ?

O mais que certo presidente

O PS esgotou-se com a solução encontrada para governar apoiado no PCP e no BE. Está dividido e isso está representado na luta entre Maria de Belém e Sampaio da Nóvoa.

Dizem que é pragmatismo da direita contra a ideologia da esquerda. Não me parece. A formação do governo é uma formula muito pragmática. O que se passa é que o PS tem mesmo duas facções, uma mais à esquerda outra mais à direita. É o acesso ao poder que as mantêm dentro do mesmo partido. Se e quando o BE estiver mais implantado na administração pública e meta as mãos na governação e assim conseguir distribuir mordomias e poder, não sei até que ponto não acontecerá ao PS o mesmo que já aconteceu a outros partidos socialistas europeus.

Mas a máquina eleitoral do PS está toda ao serviço da Sampaio da Nóvoa numa tentativa de levar a contenda a uma segunda volta. Uma vitória seria a cereja em cima do bolo de um governo frágil e que está fortemente condicionado no parlamento e no mundo do trabalho.

A Tróika está novamente aí com dezoito questões a maioria das quais não agrada aos sindicatos. Depois do aumento do salário mínimo e da redução do horário de trabalho, flexibilizar as leis do trabalho vai colocar os parceiros em confronto.

Até quando António Costa consegue cimentar esta união que ameaça rebentar a qualquer momento ? Marcelo bem pode dizer que não vai para eleições antecipadas . Não precisa, é só esperar que o fruto caia de maduro.