Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Só Maria de Belém pode forçar uma segunda volta

Marcelo sabe disso melhor do que ninguém. A candidata com a sua matriz católica e moderada pode disputar os votos ao centro. E é aí que se ganham as eleições. Sampaio da Nóvoa com o seu "tempo novo" - leia-se com o governo PS apoiado por PCP e BE - afasta, inclusive, uma parte significativa do voto socialista. Como se vê pelos declarados apoios públicos de notórios socialistas a Maria de Belém .

Entalado, António Costa, dá liberdade de voto ao PS mas, no mesmo dia, aparece César, presidente do partido, a anunciar que apoia Sampaio da Nóvoa. O acordo de maioria parlamentar assim obriga. PCP e BE não gostariam que fosse de outra maneira.

O problema é se António Costa com esta decisão salomónica está a contribuir para a vitória à primeira volta de Marcelo. Se assim for, o acordo PS-PCP-BE vai abanar, com acusações mútuas . Pode-se dizer que Edgar Silva e Marisa Martins também vão retirar votos ao candidato socialista melhor colocado para passar à segunda volta. 

Mesmo antes da prova de fogo do orçamento para 2016, as eleições presidenciais, podem ser um teste muito duro à solidez da solução parlamentar encontrada. Hoje, o debate Sampaio/Belém foi muito esclarecedor quanto à posição frágil do PS .

 

Quanto tempo vai isto durar ?

Não é má -fé, simplesmente Costa é produto de uma ideia de estado que tem tudo para não sobreviver.

O estado serviu três grandes propósitos ao longo dos últimos séculos. O primeiro (sec XVI ) foi a ênfase do poder soberano. O segundo (sec XIX) foi o da liberdade individual. O terceiro, já no século XX, foi o do estado providência.

É no rasto deste último que se enraíza a ideia ( tão presente na Europa e por conseguinte entre nós) de um estado protector, com todos os benefícios que isso trouxe a gerações de europeus e portugueses. Sucede que é por causa dessa ideia que o  modelo europeu abana e que as esquerdas escalam ao poder - ninguém quer acreditar que esse tempo acabou.

Será legítimo prometer um estado que dá tudo quando já se sabe que tal é insuportável para os contribuintes ? António Costa está a prometer mais do que pode entregar . Recorrer à velha mentalidade só pode dar mau resultado.

PS : a partir de um texto de Martim Avillez Figueiredo - Expresso)

Um governo a olhar pelo rectrovisor

Para assegurar o apoio do PCP através da CGTP ( e dos seus sindicatos) o governo anda entretido a olhar para trás. Reverter as privatizações das empresas de transportes, da TAP .  O Banif e o BES envolvendo grandes fundos investidores. Tirando a confiança aos investidores externos . O governo em vez de tratar da economia e do investimento externo, anda a aumentar o consumo e com ele as importações.

"Em pouco mais de um mês, o governo conseguiu acabar com o investimento externo em Portugal. O pobre do ministro da Economia, Caldeira Cabral, farta-se de dar entrevistas a dizer que o investimento externo constitui a sua grande prioridade. Infelizmente, as suas funções acabaram antes de se iniciarem."

"O governo deveria ter sido pragmático e concentrar-se inteiramente na recuperação económica, com medidas para captar mais investimento externo e para promover o aumento das exportações. Em vez disso, afastou o investimento externo e está a promover o consumo interno. A economia nacional vai sofrer e o governo será penalizado por governar para o passado e não para o futuro."

Diz a porta voz do PS que o governo num só mês já mostrou que é possível governar diferente. Infelizmente é verdade.

Todos os candidatos são independentes até ver

Marcelo Rebelo de Sousa até foi corrido por Passos Coelho que lhe chamou "ventoinha". Depois disso é fácil para Marcelo afastar-se do seu partido de sempre. Sampaio da Nóvoa precisa dos votos do PCP - os votos de Edgar Silva - e do BE - os votos de Marisa Martins -  e precisa da asa esquerda do PS -  esses são os seus votos - porque os votos da asa direita do PS são de Maria de Belém.

Há mesmo quem diga que Maria de Belém tem como objectivo combater António Costa e os acordos que subscreveu à esquerda. Também é por isso que António Costa já decidiu em quem vai votar.

Quanto a independências estamos conversados. Estão todos à espera que haja uma segunda volta com uma esperança de unidade que é muito improvável. É que como se percebe as candidaturas apareceram para se combaterem. E depois vão juntar-se ? A narrativa não é nada linear.

Estão todos contra Marcelo. Será porque o consideram de direita ou porque Marcelo é o mais bem colocado para ganhar ? A verdade é que os dois últimos debates obrigaram Marcelo a meter as mãos na massa, coisa que ele evitou fazer durante 40 anos. Até em discordância com Cavaco Silva, o mal amado presidente, o único político que obteve quatro maiorias absolutas. Cavaco ríspido e longe das pessoas, Marcelo afectuoso e próximo, eis a narrativa que lhe convém.

Parece que há sondagens que indicam que Maria de Belém já só pode descer embora ainda esteja ligeiramente acima de Sampaio da Nóvoa. Será que a primeira volta se faz só à esquerda? E essa não é a melhor maneira de assegurar a Marcelo a vitória sem ser necessária uma segunda volta ?

São todos independentes até ver